terça-feira, março 21, 2006

Albatrozes


"Os recursos alimentares presentes na superfície do oceano, desde zooplancton até lulas e peixes, sutentam populações de aves que vivem em alto mar o ano todo, dia e noite, aproximando-se às ilhas remotas e aos trechos isolados das costas continentais apenas para a reprodução. São aves denominadas 'oceânicas' ou 'pelágicas'. A ordem dos procellariformes, ou seja, a dos albatrozes e petréis, destaca-se pelo alto grau de especialização a este estilo de vida, e inclui a grande maioria das espécies de aves pelágicas encontradas nos oceanos do mundo." ...
do
Guia de Albatrozes e Petréis do Sul do Brasil- de Carolus M. Vooren e André C. Fernandes
Grifei: estilo de vida.
Baudelaire, poeta francês fez uma analogia entre o albatroz e o poeta.
O albatroz quando não está em seu momento de vôo e desajeitado no chão. Pesa a realidade para muitos homens capazes de grande inspiração.
Conta-se que albatrozes eram mal tratados por marinheiros por preconceito, pois acreditavam que o animal seria indolente pelo seu estilo de vida na terra, bastante diferente de quando vôa nos períodos em que ganha os céus. Assim que Baudelaire sentia-se como poeta. Foi um poeta execrado pela sociedade, bebado, sifilítico e viciado em uma poderosa droga da época. Hoje é bem mais fácil para os poetas e pensadores que podem viver uma vida quase normal eu diria. Sim, quase normal, como aquelas pessoas que não se guiam pelo senso comum, mas que sabem cativar a muitos, podendo serem mal tratados pelo brutos e estúpidos que não atingiram determinado grau de sensibilidade julgando com ligeireza, baseando-se pelo seu proprio estilo, o estilo daqueles que se locomovem tranqüilamente pelos caminhos da vida, mas não criam nada de novo, não contestando nada, elogiando todos os fatos consumados, tendo exatamente aqueles preconceitos, não os obvios, mas os preconceitos que a maioria tem como o preconceito contra a esquisofrenia, a psicose e otras oses. Estas mesmas oses tão graves não são tão graves quanto o gesto daqueles que ferem o albatroz por ele não se locomover direito sobre o chão, faz com que turma de crianças covardes zombem apenas de uma criança tímida, com que uma turma de crianças maltratem um animalzinho para testar cruelmente reações instintivas e dolorosas.
Que sejam bem vindo ao mundo todos os albatrozes! Temos muito a aprender com eles.

L’Albatros - Baudelaire
Souvent, pour s’amuser, les hommes d’équipage
Prennent des albatros, vastes oiseaux des mers,
Qui suivent, indolents compagnons de voyage,
La navire glissant sur les gouffres amers.
À peine les ont-ils déposés sur les planches,
Que ces rois de l’azur, maladroits et honteux,
Laissent piteusement leurs grandes ailes blanches
Comme des avirons traîner à côté d’eux.
Ce voyageur ailé, comme il est gauche et veule!
Lui, naguère si beau, qu’il est comique et laid!
L’un agace son bec avec un brûle-gueule,
L’autre mine, en boitant, l’infirme qui volait!
Le Poëte est semblable au prince des nuées
Qui hante la tempête et se rit de l’archer;
Exilé sur le sol au milieu des huées,
Ses ailes de géant l’empêchent de marcher.

O Albatroz
Freqüentemente, para se distrair, os homens da tripulação
Prendem alguns albatrozes, grandes pássaros dos mares,
Que acompanham, indolentes companheiros de viagem,
A embarcação deslizante sobre os abismos amargos.
A custo eles são lançados sobre as pranchas,
Que esses reis do azur*, desastrados e envergonhados,
Deixam lamentavelmente suas grandes asas brancas
Como remos puxados ao lado deles.
Este viajante alado, como é torto e franco!
Ele, flutua tão belo, que é cômico e desajeitado!
Um provoca seu bico com uma brasa,
O outro mina, coxo, o enfermo que voava!
O poeta é semelhante ao príncipe das nuvens
Que provoca a tempestade e se ri do arqueiro;
Exilado sobre o sol no meio das vaias,
Suas asas de gigante o impedem de marchar.

* le azur. sm azur. Fig. céu ; ar.
Este post também foi baseado em uma das revistas Língua Portuguesa que estão hoje em todas as bancas. Não achei agora a revista para colocar aqui maiores explicações.
Observação bem importante: Não sou a favor do uso de substâncias tôxicas. Sou contra a droga, o álcool e promiscuidade sexual. Digo isso, pois estou tendo aqui uma conversa franca e aberta, em favor do indivíduo e com resguardo em nós de tudo que há de mais saudável em nós. Não contra alguém, quem quer que seja... Portanto, quem fizer propaganda de alguma droga aqui só tem a tendência a se dar mal. Sou contra drogas, contra o álcool e contra promiscuidade. Espero ter sido bem clara na idéia que quiz passar para pessoas albatrozes principalmente.

_Na verdade os albaltrozes são é muito perigooooooooooooooosos.

_Humrummmm... Perigosos para quem deseja falsa segurança, acomodação e um enorme tédio fingindo que os problemas estão sempre nos outros. Adote um doido como amigo, que tal?

|

Links to this post:

Criar um link

<< Home