terça-feira, dezembro 20, 2005

Dorothéia



Uma coisa Dorothéia aprendera, mas distraia-se e errava novamente na mesma lição: Seu comprometimento deveria valer mais. Por isso com poucas coisas ela comprometia-se e quando comprometia-se com algo caprichava bem. Pois, via neste mundo muita gente prometendo sem cumprir muito bem. Resolveu, pois, não assumir muitos projetos aos quais não se entregaria de corpo e alma. E assim foi. Deixou de esbarrar tanto nos detalhes e retocou-os todos conferindo um brilho invisível as coisas opacas da vida.

_Puxa, Dorothéia, você andava sumida mesmo deste blog e aparecia mais no Sol & Lua!

_É mas foi aqui no muito fofo que eu nasci, antes do Sol & Lua, antes da Filha do Sol e da lua. E acho que a conclusão que eu tirei é ecológica. Este mundo é cheio de apelos, nos ilude, nos sufoca, muitas vezes tira o nosso centro por excesso de ofertas, informações, muitos apelos do bem e para o bem, mas também por exploração das nossas vaidades, das nossas fraquezas todas, dos nossos desejos e carências. Por isso me recolho tantas vezes aos meus limites e não quero ser mais um centro para cada ser. Quero que cada um encontre o centro de si mesmo.