terça-feira, novembro 29, 2005

Sistema penitenciário

"Tempo virá. Uma vacina preventiva de erros e violências ser fará. As prisões se transformarão em escolas e oficinas. E os homens, inunizados contra crime, cidadãos de um novo mundo, contarão às crianças do futuro estórias absurdas de prisões, celas, altos muros de um tempo superado. Aqueels que acreditam caminham para frente!"
Cora Coralina

O presente poema ilustrava o artigo de Luciano André Losekann na ZERO HORA intitulado Sistema Prisional e Segurança Pública.

Na semana passada fui conduzida por um amiga até uma obra da Bienal que nostrava o antigo presídio de Porto Alegre no porão do MARGS-museu de artes. Um terror! (não vou falar aqui sobre a obra em si para não fugir do propósito deste assunto) Eu imaginei que por mais que tenha em algum grau uma índole vingativa como todos nós seres humanos o temos, não desejo aquela prisão para ninguém e só desejo mesmo uma prisão que ainda não existe para que algumas pessoas recebam condições de se recuperarem realmente. É uma medida necessária que algumas pessoas tenham de ir para o cárcere para preservar a sociedade, mas esta necessidade deve ser cada vez mais incrementada no sentido da sua satisfação satisfatória realmente. Aí alguém pode me perguntar como ficam aquelas pessoas que têm menos condições do que se estivessem na prisão. E... um erro não justifica o outro. São muitos os necessitados. Paralelamente deverá ser dado condições às pessoas em diversos locais para que tenham vida digna. Cada segmento que não possua suficiente dignidade e qualidade de vida representa um obstáculo, algo negativo mesmo que interfere na vida de todos. Somos todos reflexos do nosso ambiente e do todo.

A propósito: as prisões na África são algo infernal, injusto, desumano demais e é um mau exemplo gritante de onde podem chegar os seres humanos. Os Direitos Humanos deveriam intervir mais nestes casos. (pessoas amarrotadas umas por sobre as outras, com uma alimentação eficaz para desnutrição, pessoas presas sem processos, considerados irrecuperáveis são assassinados). Não pretendemos chegar a este ponto, jamais.

|

Links to this post:

Criar um link

<< Home