terça-feira, agosto 09, 2005

A ervilha crespa...

Você faz parte...

...e a crença na anormalidade e na doença

Ao longo da história percebemos que tudo o que não se assemelha com a maioria dos seres da mesma espécie é considerado anormal. Assim sendo se um ser é mais sensível que os demais é considerado anormal por exemplo.

O caso da ervilha crespa hoje é uma chave. Darvin Acreditou que as ervilhas crespas, genes ressessivos entre as ervilhas eram ervilhas anormais, com doença hereditária. Hoje os cientistas afirmam que esta é outra modalidade de ervilha.

Aldox Huxley no seu tempo já dizia que os seres vivos vêm se diversificando geneticamente, por isso algumas pessoas têm um tecido diferente na garganta do que as outras por exemplo.

Agora entremos na Psicanalise ou na Teoria Psicanalítica Freudiana.

O que é doença e quem são os loucos?

Os bons psiquiatras relativisam muito isso.

Não há nada mais religioso do que o entendimento da Teoria Psicanalítica de Freud ou o entendimento da Psicanálise e, digo religioso no mau sentido à luz da normalidade. Normal leia-se maioria com base na estatística. A religião aqui arrebanha. Não se fala em dicotomia entre psicanálise e religião. Fala-se aqui em simbiose entre religião e psicanálise, na adaptação do sujeito diferente aos iguais ou exclusão social deste. E é o que pior: Todas as instituições, Ciências e principais religiões de acordo. Esta adaptação é feita aos trancos e barrancos, pois não prevê a simultânea e ecologia adaptação do indivíduo diferente a comunidade diferente dele. Sobre as costas do anormal recai a obrigação de não ser aquilo que é a partir do auto-conhecimento falso daquilo que querem que ele seja. E então a psicanálise pode admitir por hipocrisia que existe uma saída para a loucura, ou seja: a genialidade. Sim. Melhor estar do lado dos fortes e poderosos, pois estes a tudo podem devorar sendo mais difícil decifrá-los.

É preciso uma psiquiatria que aceite a colaboração da anormalidade venha ela ou não acrescida do poder que agrega o reacionário em prol do status quo. É preciso a quebra da lógica e a aceitação da diversidade em termos de todos aqueles médicos que repensaram a psiquiatria dando um passo além de Freud que acho que não gostaria de fazer uma sua ciência estagnar, mas gostaria que as novas gerações descubram muito além de Freud, embora ele tenha sido um cara ciumento.

*Obs: Os avanços em que a medicação que causa ainda muitos inconvenientes vem sendo feita paulatinamente aos doentes mentais e Freud já deve ter reencarnado não podendo agora ser ouvido, pois não se chama mais Sigmund.

*Obs: Doença é dor e algumas doenças poderiam não doer ou doer bem menos pela aceitação das pessoas como elas são.
|

Links to this post:

Criar um link

<< Home