quarta-feira, agosto 31, 2005

Sintomas

Você faz parte...

Podemos aprender com bons médicos que aquilo parece a própria doença pode ser apenas um sintoma.

E ainda tem o efeito borboleta, daquele filme que eu verei.

terça-feira, agosto 30, 2005

"Eu S/A"

Você faz parte...

_Ei! Você aí, pessoa!
_Eu?
_Sim, você mesmo.
Olhe para os seus pés!
_Que que foi?
_Você vale mais ou menos do que isso que você usar nos pés?

Eu S/A para mim é uma possibilidade de leitura, fala sobre a ótica de luta agressiva do Neoliberalismo com situações que podem ser levadas ao extremo.
Um trecho para todos está no blog do Régis no post do dia de hoje. Vale a pena ler este trecho:

Trecho

Se eu pudesse influenciar positivamente jovens de classe média baixa ou pobres eu os influenciaria como faço com meus filhos e como a minha família fez comigo. Eu não compraria uma bolsa caríssima, eu não compraria um tênis caríssimo, enfim eu não compraria e não compro nada caríssimo, não apenas porque não posso, mas porque não vale a pena e não quero. Quem mais acredita nestes produtos são alguns meninos muitas vezes pobres que acham que vão obter a sua dignidade através de uma idumentária qualquer. O que lhes traria dignidade é algo que precisamos todos permitir a eles: capacidade para criar e construir, fazer parte, terem todos a nossa consideração desde o seu nacimento. Todos já têm muito potencial e precisam reconhecimento. Isso vale mais do que qualquer objeto ou falsa concepção de dignidade, isso é inestimável...

Toda vez que alguém compra um destes tênis caros demais e nem sei a o quanto custam eu só penso uma coisa desta pessoa: é um iludido, um passado para trás e além de tudo uma pessoa que sobre de carência extrema no seu interior e agora está procurando preencher isso de uma forma desequilibrada da qual nunca se sacia.

segunda-feira, agosto 29, 2005

Smoke in our eyes

Você faz parte...

Hoje foi o dia internacional contra o tabagismo. Fiquei sabendo no final do dia. Se eu tivesse um cinzeiro aqui em casa colocaria nele água e uma flor para comemorar o fato de eu ter deixado de fumar a muitos anos. Isso me deixa feliz.

Deixo escrito àquelas pessoas que têm algum vício difícil de deixar: Pode ser um vazio existencial muito grande, uma falta difícil de ser suprida, a mesma falta que a falta de fé, os traumas de infância e adolescência, a entrega total ao complexo e falta de amor próprio o bastante nos fazem prosseguir em processos autodestrutivos. Contei muito comigo mesma, com a presença adorável dos meus meninos (sendo que um deles estava na barriga) , com minha vontade para deixar de fumar; ao amor e a sabedoria de uma homeopata e psiquiatra, a redescoberta da espiritualidade, às leituras espirituais que fiz, aos florais de bach e a homeopatia da própria nicotina, um remédio raro que poucos como a Dra. Miriam Dias Pinheiro sabe ministrar. No meu caso eu reconstrui os meus próprios valores e coloquei Deus acima de tudo. Isso me trouxe uma perspectiva nova, pois eu a pouco havia tido uma queda espiritual que se baseava em desesperança, falta de fé e conflitos generalizados em forma de uma dor psíquica muito intensa que se denomina angústia. Então descobri a minha antiga ansiedade era comportamental, era de fundo apenas e que o que mais me fazia sofrer era angústia algo que como se fosse uma droga pesada que eu houvesse ingerido e precisaria de muita força e tive esta força. Uma força que veio da Fonte. Uma força muito além de mim mesma. Quando preciso desta força agora eu tenho muitos exemplos e sei que ela existe, por isso sei que o desespero que poderiamos chamar de filho da angústia em mim não tem pelo que ser concebido. Há sempre uma saída, por mais que nós não a vejamos. E busco vida pois amo as surpresas, amo a verdade, amo estar aqui e poder ser, tenham ou não consideração por mim. Tenham ou não este preconceito que algumas têm em me rotular de algo sempre que podem. Espero um final feliz para as situações por mais difíceis que elas pareçam e sei que uma boa alimentação e ar puro fazem parte deste final feliz, se bem que não há nem um final para quem tem a eternidade pela frente. Sim, porque eu sou eterna e eternamente responsável pelo que cativei. Cativei até a mim mesma...Uma flor no meu cinzeiro simbólico coloquei para sempre e ela não murcha nunca.

Um site em Inglês para quando estivermos com tempo:

Aqui

"Redes, teias

Você faz parte...

pensamento ecológico"

Repensando conceitos, fazendo parte de uma nova era juntamente com você querido leitor(a) trago este texto interessante para pensarmos e apreciarmos juntos, em nossos universos paralelos:


Leia !

"Cordeona"


Você faz parte...

de Jayme Caetano Braun


"De onde me vem,
Cordeona,
o formigueiro
Que sinto n`alma,
ao te escutar floreando?
E essa vontade de morrer peleando.
Será que um dia eu já não fui gaiteiro???
De onde me vem esse tropel no pulso,
E esse calor de fogo que incendeia?
Por que será que fico assim,
convulso,
E só de ouvir-te o sangue corcoveia???
É o atavismo, eu sei,
Cordeona amiga,
Sem que tu digas,
sem que ninguém diga,
Parceira guasca que nos apaixonas.
E se mil vidas Deus me desse,
um dia, Uma por uma delas,
eu daria,
Prá ter mil funerais de mil Cordeonas!!!"

Tá vendo esta foto aí, vivente? Tava pensando que era a mulher do brinco de pérola, né? Pois, não é. Esta daí soy yo. Eu quando era guria na cidade de Júlio de Castilhos. Lugar frio de rachá os beiso! E eu estou vestida de prenda, caipira, ou sei lá o quê arrajado para uma quermesse do colégio de freiras.

Cordeona tem a ver comigo sentada nestas rodas de gaitas em um sítio em especial de uns amigos muito bons que viviam próximo. Só ouvindo de platéia. Havia um respeito de todos. Não se falava, escutava-se. Faz parte da minha cultura musical intuitiva que não saberia explicar direito. Por isso quando era feio ter de ouvir estas coisas eu acreditei e ouvi muita música, boa parte dela em Inglês, Francês, Clássicos, Chico Buarque e se fosse para ouvir música gaúcha tinha de ser Nativista. Mas, o vanerão e outras gaitadas choronas tinham esta beleza de quem nem pediu licença para expressar um rio de sentimentos que ficaram guardados em algumas das minhas recordações. E fui puxada para bailão. E dancei nas discotecas. Dancei na academia de dança moderna. Estudei música, mas nem tanto. Mas, o meu primeiro instrumento mesmo, do qual eu tenho um carinho muito especial foi o triângulo. O triângulo que eu toquei na bandinha do jardim. O triângulo ficou junto com um mundo alegre e vermelho que deixei e eu nem sabia o quanto eu ia chorar por isso.

domingo, agosto 28, 2005

A coisa da comida


Você faz parte...

Ontem vi o filme Como água para chocolate um filme mexicano muito bom com algo de conto de fada, muita sensualidade, amor e até mesmo espiritualidade.

De acordo com o judaísmo as intensões e emoções de quem cozinha passam para comida. Tenho isso para mim como certo. Comida deve ser oferecida com amor. O filme confirma e as comidas de Tita passavam mensagens verdadeiras.

Eu sou muito insegura para cozinhar. Só faço comidas gostosas quando estou de bem lá no fundo com a pessoa para quem cozinho e não posso estar magoada com nada ou estraga tudo. O que eu faço por obrigação sempre tem um problema de falta ou excesso de sal, queimou um pouco, estas coisas...

Geralmente não gosto de cozinhar. Faço tudo para cozinhar menos e fazer mais outras coisas. Mas, gosto de apreciar uma comida feita com arte e com amor feita por mim ou por outra pessoa. Isso para mim tem valor e é como uma prosa, um verso, uma pintura...enfim, é arte. É uma mensagem. "Somos o que comemos." Comemos blogs por exemplo, não?

Sou vegetariana, mesmo assim copiei a receita de codornas afrodisíacas do filme.

Codornas ao molho de rosas para duas pessoas:

1/2 xíc. de pétalas de rosas vermelhas
2 colheres de sopa de sementes de erva doce
1/2 xícara de amêndoas doces descascadas e picadas
2 dentes de alho
4 figos da índia
1 colher de sopa de essência de rosas
3 colheres de sopa de mel
1 xíc. de caldo de galinha
1 colher de sopa de óleo vegetal
4 codornas desossadas sal e pimenta do reino

Triture no processador as pétalas, sementes de erva doce, amêndoas e alho, até formar uma pasta homogênea e macia. Reserve. No liquidificador, bata os figos da índia com a essência de rosas, o mel e o caldo de galinha. Em seguida coe. Misture com a pasta de pétalas de rosas e aqueça em fogo brando, mexendo sempre. Tempere com sal e pimenta do reino.

Codornas:

Tempere as aves com sal e pimenta e refogue-as em frigideira c/óleo vegetal pré-aquecido. Termine o cozimento colocando-as em uma assadeira untada e levando ao formo a 350 graus até ficarem macias. ao servir, mergulhe as codornas no molho de pétalas quente por alguns instantes. Sirva com salada de folhas verdes variadas e purê de batatas.

***

As pessoas costumam ser reprimidas por sentimentos de culpa e rigidez moral. No filme, segundo uma tradição de família a filha mais moça deveria ficar solteira para cuidar da mãe quando esta estivesse para morrer. E Tita, a mais moça se apaixonou. A irmã de Tita, Rosaura casou-se com Pedro, o homem à quem Tita amava e ficaram todos próximos. A relação sensual que existia entre Tita e Pedro se dava através do olhar sobre o corpo e da comida. Quando Pedro finalmente pode ficar com Tita ele morre de amor de uma forma bastante interessante e romântica que é explicada no filme. Através de Tita houve a libertação do mito familiar. Existe o livro que deve ser muito bom e quem sabe melhor ainda que o filme.

sábado, agosto 27, 2005

Soy

Você faz parte...

Fazia tempo que eu não me acordava feliz e foi assim por causa do canto dos pássaros, a velha sinfonia da madrugada. Eu a ouço com reverência. O gato Luar também.

Sou entre iguais diferente. O que está completamente explicado para alguns a meu respeito pela presunsão, pelo preconceito, pelo absulutismo categórico, para mim não está. Estou explicando a mim mesma. Me prescuto de longe como se fosse outra e me defino e redefino, me transformo, desmancho, arranjo tudo outra vez. Uma saudade infinda da eternidade do instante único me ocorre.

sexta-feira, agosto 26, 2005

Retratos da Vida

Você faz parte...

Cinema em casa:

Revi o filme Retratos da Vida escolhido pelo Régis. Pipocas de panela para acompanhar.
É um filme maravilhoso com uma filosofia que não se vê nesta época em os EUA não vivem em Paz com outros povos.
Em Retratos da Vida, cujo título original é Uns e os outros tudo gira em torno da música em situações em que as pessoas sofreram as conseqüências da guerra, de um patriotismo preconceituoso encutido nelas, mas através da paixão pela música e pelas causas sociais a vida continua com todo o sentido que se possa imaginar.

1981
Diretor: Claude Lelouch
Filme narrado em Francês
Imperdível para a nova geração que ainda não assistiu. Eu já havia assistido mais de uma vez, mas não lembrava de quase nada do filme como ocorre com filmes ótimos que vi a uns vinte anos atrás e posso rever a vontade.

O filme que escolhi para fazer o trabalho de Inglês é Como água para Chocolate.

Zoológicos

Você faz parte...

A lógica dos zoos
agora "ecológicos" - destinados a Educação Ambiental- menos mau-Aqui perto de Porto Alegre tem o de zoológico de Sapucaia que saiu na ZH recente e agora tem um Caderno Ecológico. Quizeram me levar praticamente a força ao Pampa Safari a anos atrás, o Régis estava comigo e os nossos dois filhos. Ele queria nos levar e não me falou a respeito antes de sairmos de casa. Fiquei brava dentro do carro que era um fusca e amarrei a cara. Então ele bateu o carro, pois começou a discutir comigo, tendo em vista que eu estaria agorando o passeio maravilhoso e desde criança não vou a zoológicos. Ele tinha este este sonho de me levar lá com as crianças. É que quando vi bichos no zoológico quando criança eu os vi tristes e ansiosos, andando de um lado para outro. Se os bichos pudessem falar eles diriam como aquele filósofo Diógenes, para não lhes tirarem aquilo que não podem lhes dar. Além disso com as crianças...

A gente tem de aceitar os atrasos, as mazelas da civilização e eu tenho de aceitar e quem sabe até interagir com um animal em cativeiro. Porque não, afinal eu não sou melhor que os outros. Meus bichos estão em cativeiro: Meu gato porque o achei na rua. Eu adotaria um gato, não compraria um. Minha tartaruga eu ganhei quando tinha 4 anos. Mas, os seres humanos usam e abusam mesmo dos animais. Espero que estejam dando todas as condições para estes bichos sobreviverem em locais abertos. Chega de abusos contra a natureza! Eu até usaria deste tipo de recurso para educar crianças, alimentar bichos, etc., mas concordar é diferente. Se dependesse de mim não sei se haveria o tal do progresso no bom e no mal sentido assim como o conhecemos.

*errata: Tajmahal: Agora eu fiz uma pesquisa oral para conseguir esta palavra difícil que me causou tantos problemas. O castelo não foi construído para mim e sim para uma princesa que nem sei se afinal merecia tanto, mas o amor entre homem e mulher tem destas coisas...E por causa desta princesa que deu tanto trabalho eu cometi um erro crasso comentando mal o blog do Guto. Escolho rir de mim mesma antes que algum aventureiro o faça. He...he...

"O guardador de Rebanhos"


Você faz parte...






"O meu olhar é nítido como um girassol,
Tenho o constume de andar pelas estradas
olhando para a direita e para a esquerda,
E de vem em quando olhando para trás...
E o que vejo a cada momento
É aquilo que nunca antes eu tinha visto,
E eu sei dar por isso muito bem...
Sei ter o pasmo essencial
Que tem uma criança se, ao nascer,
Reparasse que nascera deveras...
Sinto-me nascido a cada momento
Para a eterna novidade do Mundo...."


("O Guardador de Rebanhos", de Alberto Caeieiro, in Obra Poética, pág. 204, Fernando Pessoa)

A imagem escolhida no google é da Anne Gueddes

*** Luviah***

Mudando de assunto, tchê, Passo Fundo agora virou Passargada justamente quando não moro mais lá.

Aguardando post


Você faz parte...

sobre o filósofo Descartes no blog do João (Ele não disse quando vai postar sobre isso), eu fiz uma travessura ontem numa imagem da Anne Gueddes, a fotógrafa dos bebezinhos fofos. Desculpe, Anne, não me processe por favor!!!

Sobre hipóses eu recomendo o post do Régis, muito interessante.

Não achei nada a respeito do filósofo que disse isso que está na imagem ou quase que completamente isso. Agora também temos:"Escrevo, logo sou." Navego, logo existo." e podemos imaginar mil maneiras de trazer Descartes para a nossa realidade. Mas, agora é tudo com o João.

Um lindo dia no Porto e eu aqui de gripe. Mil coisas por fazer. Estão batendo em cima da minha cabeça. Tem um vizinho que comprou um martelo novo e está estudando rítmo.

Errata: Hoje dei uma das minhas muitas gafes no blog do Guto
e desta vez não vou escrever duas vezes lá para corrigir, pois as vezes a emenda fica pior que o soneto. Eu confundi Manhatan com T. -O castelo construído na Índia para uma donzela. E não lembro como se escreve. Sobre isso tem até música. Mas, a palavra, nada a ver... E não acho no google. Tudo bem. Para que se preocupar em ser humana?

Novas descobertas internáuticas deixaram coração contente.

Aquele post prometido sobre o floral vine de Bach já está postado no Sol e Lua

Achei coisas do arco ontem na internet. Fiquei sem ir para cama até tarde e podia estar lendo mais meu livro sumário de Inglês, O fantansta da Ópera (ele mesmo) que é muito bom e pretendo trazer novamente de alguma forma para o Sol e Lua que é um blog mais intimista que esse aqui. Agora que estou muito gripada a cama me faz mal por causa da posição na horizontal.
Estou tomando própolis, alho e gengibre como costumo fazer nestes casos, chazinhos caseiros variados e café, pois desse vício-virtude não abro mão.

Desligar-me da rede: Quanta dificuldade.

Eu estava me preparando para deixar tudo bem limpinho e depois pegar no meu livro e então caiu a ficha que eu tinha escrito besteira no blog do Guto. Merece uma explicação. Estou dando maiores explicações aqui que é meu canto.

Fui.

quarta-feira, agosto 24, 2005

Visão


Você faz parte...









"Não vemos as coisas como elas são, mas como nós somos."
por
Anais Nin

Estive no site
http://pt.wikiquote.org/
e trouxe esta frase prá ti.

A fine day

Você faz parte...

*Perdi o post que escrevi hoje pela manhã. Nada demais.

*Além do habitual fiz a leitura de Inglês algumas vezes em voz alta. Depois repito quantas vezes aguento.

*Ajudei um rapazinho em seus temas. Uhhhh, quanto nome difícil!!! Alguns nomes muito bonitos como hifas. Que eram mesmo hifas?

*jaguatirica: felix pardalis- Eu acho lindas as jaguatiricas, mas uma falecida prima minha teve um perna com uma enorme cicatriz. Ela tinha como animalzinho de estimação uma jaguatirica. Um dia a bichana sentiu-se incomodada com alguma injustiça que a minha prima fez para ela. Esta história é muito antiga.

*Estou legal e em paz apesar de uma virose que me ataca principalmente à noite e de madrugada. Dela faz parte coceira na garganta e tosse. Na aula de Inglês passada eu tive esta coceira. Se é alergia só preciso perceber se estou nervosa. Atrapalhei um pouco a aula. Se eu fosse ao cinema...

*Estou tomando o floral vine de Bach. Quem lê apenas o catálogo e não é terapeuta floral ou não leu mais a fundo sobre o floral, por vaidade, geralmente não toma este floral. _Dominadora, eu? Manipuladora, eu? _Não é bem isso, pessoas, mas falta uma certa diplomacia que venho aperfeiçoando. Tenho aquela característica do signo de leão de rugir muito sem mudar nada. Quero parar com este círculo vicioso que de quando em vez reaparece. E vulgarmente as pessoas chamam a falta de jeitinho que temos de surto. Ah...Estou fazendo uma espécie de entrega. É preciso organizar o que posso e a dificuldade existe. Ter autoridade sobre as coisas das quais devo ter autoridade... Isso é preciso. Ter autoridade sobre meus filhos e sobre aquilo que eu sei mais que os outros para amorosamente evitar que as pessoas façam besteira, através da persuasão... Venho fazendo isso aos bem aos pouquinhos. E legal para mim ver como mudei e como sinto mais poder de ser dando menos foras e mais dentros.
Sempre neguei a coisa da autoridade de certa forma, pois sou contra a hierarquia como ela se apresenta em uma sociedade eivada de hipocrisia, opressão e desrespeito, mas sobre a nossa vida e sobre as vidas que estão sob nossa tutela podemos ter uma influência positiva, sem manipular, sem agredir, sem intromissão no recanto sagrado dos outros. Apenas deixando e incentivando que cada um seja o que é e descubra por si mesmo com algum incentivo da nossa parte o seu papel único e insubstituível... (Para mim hoje ninguém pode ser substituido.) _ Se alguém não acredita no efeito dos florais eu recomendo a fórmula ecológica de MG acrescida do floral iris da FES se quizer ter uma experiência (interação ecológica no seu meio e inspiração de modo geral).

Estou pensando em escrever mais sobre o floral vine no sol&lua, o bloguinho mais noturno (vide meus linques). Vamos ver se eu faço isso.

*Bom dia para você!

terça-feira, agosto 23, 2005

O que diz

Você faz parte...

do Brasil no presente momento a filósofa Marilena Chaui:

"Ao abrir o ciclo de debates O Silêncio dos Intelectuais, no Rio de Janeiro, a filósofa Marilena Chaui disse que o PT começou a errar logo após a eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao aceitar participar de um governo de transição.

Para a professora, que falou na Maison de France, a transição foi uma "armadilha dos tucanos". Marilena criticou a agenda do governo, mas disse que a corrupção não deve ser entendida como problema de caráter pessoal dos governantes, e sim como reflexo do atual sistema político brasileiro. "Conheci os principais tucanos de perto na USP. Afirmo que é preciso ter os dois pés, as duas mãos e a cabeça atrás, ter muita desconfiança em relação ao que eles propõem", disse Marilena em sua palestra.

A transição, segundo ela, a pretexto de corrigir a situação de "bancarrota da economia e do Estado" em que se encontrava o País no fim de 2002, serviu como indicador de continuidade política. "É muito complicado colocar como transição. O PT foi eleito para transformação. A transição foi uma armadilha tucana poderosa", acrescentou.

A partir desse erro, acredita Marilena, o governo Lula teria persistido em um rumo equivocado ao não impor como agenda as reformas tributária e política. "Na melhor das hipóteses, houve um erro de timing", disse a filósofa, para quem a discussão sobre questões sociais não recebeu o tratamento adequado por parte do governo Lula. "Certamente, a primeira ação que daria significado mais que simbólico à proposta do Fome Zero seria a reforma tributária", afirmou Marilena, que lembrou a posição do Brasil como segundo pior país do mundo em desigualdade econômica, atrás apenas de Serra Leoa, um país africano que enfrenta guerra civil. "A agenda não foi essa. Veio a reforma previdenciária."

O segundo passo, na visão de Marilena, deveria ter sido a reforma político-eleitoral, em que um dos pontos a serem alterados, apontou, seria a excessiva fragmentação partidária. "O sistema político brasileiro é uma aberração", disse a filósofa. "Nenhum presidente tem maioria no Congresso. Desde Sarney sabemos como se obtém vitórias nas votações. Todo mundo sempre soube. Nosso sistema político tem todas as distorções possíveis", afirmou.
Ao deixar de lado a reforma política, disse Marilena, o governo Lula ficou "atado ao sistema tal como ele é" e fez as alianças que acabaram por lançá-lo na crise em que hoje se debate. "A inscrição transformadora do PT ficou escondida sob reformas que tucanos não tiveram coragem de fazer", avaliou.

Marilena atacou o que chamou de "moralismo na política". Ela disse que não se deve reduzir o problema da corrupção a uma questão de caráter pessoal, mas entender o fenômeno como resultado do próprio modo como o sistema político brasileiro está estruturado. "Precisamos fazer a reforma política ou continuaremos a gritar contra o caráter dos indivíduos", alertou.

Marilena não quis falar com a imprensa, limitando-se a dar declarações a órgãos públicos, como a TV da Assembléia Legislativa do Rio e a TV Educativa. Ela disse não ter condições ainda de fazer uma análise mais específica sobre a crise política. "Há momentos em que o silêncio é um dever. Ainda não entendi por inteiro, por isso não posso escrever nem falar sobre ela. Seria irresponsabilidade oferecer uma análise para convencer os outros", afirmou."
Reportagem da AOL-
Concordo no sentido de que a apuração das faltas individuais existem e não deverão deixar de existir, mas além de existir a questão do indivíduo deve haver uma visão global da problemática do Brasil, ou seja: a problemática da péssima distribuição de renda em última análise. Falta de organização da esquerda é um problema à parte que prejudica muito a esquerda em relação à direita camuflada com quem não devemos nos casar nem por interesse. Quem quer um país que vá trabalhar na distribuição desta renda com melhorias sociais que se una neste momento tão difícil!
A transição para democracia deve ganhar um novo sentido a partir de agora com respeito a soberania da Nação, respeito ecológico pela Amazônia por exemplo e uma crescente tomada de consciência do povo em relação a direitos e deveres que temos. O grito de Independência terá de ser dado novamente e desta vez com um propósito bem definido.

segunda-feira, agosto 22, 2005

Busca e escolha




Ações delicadas
são aquelas que nos
abarcam num
abraço astral oferecido a todos.

Imagem do site de Mel Gama
*************************************************************

Palavras desnecessárias não devem ser escritas.
********************************************************************************
Mudando de assunto quero avisar para que todos cuidem
com golpes e confiem desconfiando. Eu não vou entrar em
detalhes sobre o golpe que alguém sofreu hoje para não dar
exemplo a
quem não devo. *********************************************************************************

domingo, agosto 21, 2005

"Misteriosa Infusão"




de Wilson Turbino

"Eram lindos estes campos
Bem antes da descoberta.
O verde era como um manto,
A pampa era toda aberta.
Cercas, divisas,
bandeiras
Não existiam por aqui.
E tudo isto era o reino
De uma nação Guarani.
Famílias se arrinconavam
Por capões,
planícies, serras.
E, livres,
se deslocavam
Por toda a extensão da terra.
Mas...
quando haviam contendas,
Entre as tribos co-irmãs,
Se reuniam os caciques,
Os feiticeiros, os xamãs.
Se conclamava o conselho
Ao pé do fogo-de-chão
E... ali se discutia
Pra encontrar a solução
O “itacuguá” sobre o fogo
Aos poucos a água aquecia.
E, num clima de respeito,
Aos veteranos se ouvia.
Então... o velho pagé,
De uma combuca na mão,
Tirava uma erva seca
Triturada no pilão.
E com ela preparava
Uma misteriosa infusão,
Que era chamada “caá-y”
Na língua do povo irmão.
O próprio Tupá ensinara
A preparar a mistura
Conforme diziam as crenças
E os mitos dessa cultura
No “caiguá” se colocava
A erva e a água quente.
E a “tacuapí”, que era a bomba,
Completava esta vertente.
Era assim que comungava
O nosso povo ancestral,
Unindo os seres da terra
Ao plano celestial.
E... enquanto os homens calavam
Sorvendo a infusão bendita,
Os ânimos se acalmavam
E as guerras eram proscritas
É por isto que este mate,
Esta silenciosa oração
Nos faz tanto bem à alma
Nos conforta o coração
Nos religando ao passado
Sem olvidar o presente,
Nos tornando mais fraternos,
Mais felizes...
Mais contentes.
Por isto é que eu lhes afirmo,
Com a mais profunda emoção:
Que é Deus Tupá...
que ainda fala
Na língua do chimarrão."

Tem mais no
Galpão Virtual

sábado, agosto 20, 2005

Bangue bangue à brasileira

Você faz parte...

Ah certos "mocinhos" de mais de 30 anos e bem além que me fazem gostar mais de bandidos do que de "mocinhos".
Sim, hoje.
Estou falando de política, viu?

*Confesso que acumulei serviço. Fui.

Liberdade


Você faz parte...

Sou amante da liberdade, mas ontem escrevi no meu diário secreto a noite: A liberdade dói. Já li algumas vezes que a felicidade dói, como disse a Clarice Lispector, mas agora mais essa: a liberdade, encaminhando-se para o êxtase de ser também dói na medida deste prazer e felicidade que lhe faz fronteira e dói, dói, dói, cheia de saudade e de solidão dos laços do aparente amor que nós aprisionam quando somos jogados de um penhasco para voar em liberdade. Podermos ficar com a solidão e não enxergar a liberdade e quanto mais enxergamos uma destas não enxergamos a outra. Fiquei mais inteligente quando percebi que a minha solidão era também liberdade.

Liberdade


Tradução remanejada do texto de Juan Arias, in Persona, págs. 126 e 127; Amicy Santos e outros- do livro TDF- de Parisi e Cotrin- Editora Saraiva


"Sou livre quando amo o que faço;
Sou livre quando amo as coisas e
os homens porque o amor os faz mais livres e
eu menos escravo;
Sou livre quando aceito e devendo a liberdade dos outros;
sou livre quando a minha liberdade vale mais do que o dinheiro;
Sou livre quando consigo em tudo descobrir bondade;
Sou livre quando aceito que o mais importante é a minha consciência;
Sou livre quando me sei dar sem exigir possuir;
Sou livre quando creio que Deus é maior que o meu pecado;
Sou livre quando sei que, na hora do fracasso, é sempre tempo de
recomeçar outra vez;
Sou livre quando creio firmemente num homem como eu que,
depois de ter morrido, continua a viver para sempre;
Sou livre quando sou capaz de amar o instante da vida que tenho nas mãos;
Sou livre quando estou consciente de que nem tudo me convém;
Sou livre quando, acorrentado, continuo a gritar o
direito à minha liberdade;
Sou livre quando sou capaz de aceitar o que os outros me oferecem;
Sou livre quando reconheço as minhas limitações;
Sou livre se tenho a capacidade de me transformar;
Sou livre quando tenho fazer do meu trabalho um ato de criação;
Bem-aventurados os livres, porque possuirão a Terra."
*
Poema oração!!! Deu-me uma vontade de recitá-lo seguidamente ao colocar aqui.
A imagem colocada aqui não é de minha autoria.

Mãos dadas

Você faz parte...

"Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não canterei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considera a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de nãos dadas.
Não serei o cantor de uma mulher, de uma história.
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.
O tempo é minha matéria, o tempo presente, os homens presentes,
a vida presente."

(Antologia Poética de Mário de Andrade págs. 97 e 98- trecho do livro TDF já mencionado- Editora Saraiva)

Não há o que criticar aqui pois está tudo muito lógico. Mas, acho que dá para ir além. E nem precisa ser tão lógico e pé no chão assim. O Mário que seja! Não critico as coisas que são muito lógicas, costumo até omitir dizer que às vezes elas não servem para mim, quando algumas pessoas estão achando que podem ser donos da minha vontade e ter o rumo da minha vida em suas mãos. Só que estas pessoas não querem a responsabilidade que cada um tem por suas vidas. Geralmente quando eu faço algo por alguém além dos contratos bem estudados é de coração (com muita vontade) caso contrário costumo me arrepender. É certo que a minha vontade precisa se exercitar. Fico deprimida com freqüência e o maior desejo abstrato da minha vida, o meu segredo é impossível a não ser por milagre: sentir-me aceita completamente. Impossible I know. Continua segredo, pois você nunca poderá saber como eu me sinto, pois não está na minha pele.

Bom, mas voltando ao Mário, que sai do assunto, a parte mais legal do poema para mim são as mãos dadas, a solidariedade. No mais eu conjugo verbos em todos os tempos, com todo o respeito pelos mais pragmáticos.

LÓGICA MATERIAL

Você faz parte...

Azul azul azul blue blue blue

"Onde quer que você vá, vá de coração." (Vide em Doce Veneno-desconheço o autor) Isso me veio...

Tá, agora chega e vamos à Lógica Material propriamente dita. Isso é muito lindo.

Do Livro Trabalho Dirigido de Filosofia

de Parisi e Cotrim
Ed. Saraiva- Livro Velho de mais para dizer a idade

"A lógica material preocupa-se em estabelecer a forma correta para que exista uma correpondência verdadeira entre o nosso pensamento e o fato da realidade.

Como produto direto desta correspondência entre pensamento e fato, surge a verdade lógica,
que nasce homem sobre a realidade do mundo.

Quando possuímos um juízo que não resulta de uma correspondência verdadeira entre o nosso pensamento e o fato real, surge o erro.

Vamos ver se você está ligado(a):

Então você pode dizer que a verdade lógica está presente nos juízos que.......(resultam; não resultam) da correspondência entre o pensamento e o fato real.

Você pode dizer também que o erro resulta da......(correspondência; não-correspondência) entre o pensamos e o fato real.

Leia agora o texto abaixo que versa sobre o erro. Ele foi transcrito do livro Curso de Filosofia de Régis Jolivet.

a) Causas do erro. Provêm da fraqueza natural do nosso espírito: falta de penetração; falta de atenção; falta de memória. Todavia, esta imperfeição notável do espírito não é jamais acausa suficiente do erro. Porque como a inteligência só é obrigada a assentir pela evidência do verdadeiro, jamais se enganaria, ou, em outras palavras, jamais nanifestaria sua adesão fora da evidência, a não ser que estivesse sofrendo de uma influência estranha. Esta influência estranha é a da vontade submetida às paixões, e, por conseguinte, as verdadieras causas do erro são quase sempre as causas morais.

b) Causas morais. Podemos reduzi-las a três princípios, que são: a vaidade, pela quanl confiamos em deamisa nas nossas luzes pessoais, _ o interesse, pelo qual preferimos as asserções que nos são favoráveis, _a preguiça, pela qual recuamos ante a informação e o trabalho necessário, aceitando sem controle os preconceitos em voga, a autoridade dos fatos sábios, as aparências superficiais, os equívocos da linguagem etc.

Os remédios contra o erro_Se o erro tem causas lógicas e causas morais, devemos conbatê-lo por remédios lógicos e remédios morais.

Remédios lógicos. Constituem uma espécie de higiene intectual e tendem a desenvolver a retidão e o vigor do espírito, pela aplicação metódica das regras lógicas e, pelo controle da imaginação, o desenvolvimento da memória.

Remédios morais. São, naturalmente, os mais importantes. Resumem-se no amor a verdade que nos inclina a desconfiar de nós mesmos, a julgar com um perfeita imparcialidade, a agir com paciência, cirunspecção e perserverança na procura da verdade.

O ERRO VESTIDO DE VERDADE

Existem argumentos que se apresentam de forma aparentemente válida, embora sejam essencialmente incorretos. Estes argumentos são os erros disfarçados em verdades e recebem o nome genérico de sofismas.

Vamos conhecer agora os mais freqüentes tipos de sofisma:

Equívoco e ambiqüidade

É comum encontrarmos palavras que possuem diversos significados. A palavra manga, por exemplo, pode ser usada para denominar o fruto da mangueira, como também a parte do vestuário onde se enfia o braço.

O sofisma do equívoco e da ambigüidade resulta do emprego de uma mesma palavra em dois ou mais sentidos.

Exemplo: Toda a barata é um inseto.
Esta flor é barata.
Logo, esta flor é um inseto.

Ignorância da causa

Este sofisma consiste em se concluir que um fato foi causado por circunstâncias acidentais que o antecederam.

Exemplo:

Alexandere viu um gato preto antes de escorregar.
Logo, ele escorregou porque viu um gato preto.


Comparação indevida

Este sofisma consiste em se tirar conclususões a partir de certas semelhanças entre dois objetos, desprezando-se a partir de certas semelhanças entre dois objetos, desprezando-se suas diferenças.

Exemplo:

Os animais são seres vivos como os vegetais.
Os animais se locomovem.
Logo, os vegetais também se locomovem.

Petição de princípio

Este sofisma consiste em se tomar como verdade demonstrada justamente aquilo que está em discução.

Exemplo:

O cigarro prejudica a saúde porque faz mal para o organismo."

(Aqui não resultou erro mas poderia ocorrer.- o parentese é meu)

A lógica material parece muito simples. A formal é mais complexa ao meu ver. Se uma pessoa qualquer receber um texto cheio de conclusões e juizos pode averiguar o texto sob o ponto de vista da lógica formal e material também. Muitas vezes o texto vem com uma antecendente ou conclusão que o autor tinha debaixo da manga e neste caso eu me deixo guiar por uma lógica que vem da Kabalah Judaica: Qual a intensão que está por trás desta colocação? A Kabalah ensina a questionar sobre a intensão que existe por trás de cada ação. E ensina também a não fazermos julgamentos tão rígidos tendo em vista que mais de uma intensão e alguma principal deve estar por trás de uma prática.

Muitas vezes o pretexto é colocar-se em desequilíbrio de superioridade em relação ao outro, amigo ou inimigo quando o sujeito é de alguma forma competitivo. Se pergutamos qual é esta intenção que também pode ser a melhor possível e todos são inocentes, até prova em contrário, vamos observando com cuidado os discursos, sem precisar ter muita preocupação se temos sabedoria em desenvolvimento em baixo da nossa manga. Por outro lado perguntar a intenção clara das pessoas num contexto repressivo como o que vivemos (repressão cultural) pode significar um confronto violento quando na verdade seria muito salutar se fosse de praxe fazer isso. Assim, por trás de uma colação, de uma pergunta pode estar um julgamento, mas para desconfiar de maneira adequada desconfiemos de nós mesmo sem aceitar a aparente falta de riscos que a certeza nos oferece.

sexta-feira, agosto 19, 2005

Em breve


Você faz parte...

Lógica Material



Foto da AOL-Br- As corujas estão muito escassas, em perigo de extinção.

Quem precisa de lógica

Você faz parte...

Uma mulher que me tirou algo ou talvez tenha me feito ganhar algo com a sua atitude me chamava de incoerente todas as vezes em que eu argumentava suas humilhações escamoteadas.
Se é uma coisa que eu tenho certeza é de que estava no meu juizo na ocasião, embora em certas ocasiões tenha saído dele. Eu estudei lógica e tenho a coisa bem introjetada, embora não saiba na ponta da língua. Eu sei quem vive de forma ilógica e sei que quanto a esta pessoa me chamava de incoerente para me deixar nervosa seu objetivo e falas estavam tropeçando na lógica. A lógica lhe traria mais senso de Justiça, mais compaixão, mais eqüidade e menos medo. Na vida não me importa mais tanto o que ocorre por fora de mim. O que importa é o que está aqui dentro. Esta é a minha força. A força das pessoas injustas está depositada mais por fora até que tudo desmorone um dia e então vão buscar um discurso lógico que as sustente.

Nem todo texto, nem toda a conversa, nem toda poesia, nem toda fala precisa lógica.

Um juizo, um julgamento precisa lógica.

Se alguém está dando "uma lição" de moral ou "pregando ética" para outro alguém este discurso precisa de lógica. É o que geralmente não encontramos quando este sermão é dado por quem não tem moral ou ética suficiente para isso. Este terreno é tão delicado que os bons profissionais do direito costumam ater-se mais aos fatos do que as conclusões fáceis e perigosas para a sua carreira e para o cliente.

E principalmente para recebermos a carga de julgamento que existe hoje precisamos ética. Precisamos dela para descartarmos com êxito vários textos da internet que muitas pessoas inteligentes, criativas e formadas numa faculdade não têm condições de entender. Não há lógica, não tem moral verdadeira em alguns textos que transmitem como coqueluche e por muito tempo não houveram professores de Filosofia dando aulas para gurizada.

Há textos e poesias rebuscadas, floreadas, cheias de citações, adjetivos, superlativos e figuras de linguagem. Pobre desta poesia ricaça se lhes colocam um juizo falso de valor.

A poesia sobre o peão e o cusco, que coloquei aqui mais abaixo, considero um primor da literatura, não só gaudéria como do Brasil. Um simples peão de estácia, provavelmente um ex-escravo questiona a lógica dos seus patrões que lhe tiram o único ente que era realmente seu, o seu cãozinho (esta poesia está postada mais abaixo). E quantos argumentos ele tinha! Tinha tantos argumentos que a lei que vale para todos diante da sua vida e de sua situação tornam-se uma lástima. Exemplo e tanto de lógica e Justiça! Quando formos trabalhar com exemplos negativos aqui eles serão bem curtinhos e didáticos.

Livres da lógica que é meio chatinha podemos ser como quizermos sem afrontar os outros, sem estabelecer juizos de valor, sem moralismos de cuecas. Agora eu sei porque alguns moralistas tomam banho de cuecas. Aí a gente escreve coisas do gênero:


O
OvO
O
Desculpem se copiei alguém sem querer, mas isso que escrevi acima é tão essencial e tão óbvio.
E este tipo de coisa me liberta. Eu não preciso do arcabouço de leis imenso para escrever algo tão lindo. Não preciso de lógica. Posso ser incoerente todas as vezes que eu quizer num caso destes. Mas, se alguém me apresentar um daqueles sermões que me dizem que eu poderia ter cuidado melhor do meu peixinho e na verdade foi eu que matei o bicho por não ter estudado a fundo o seu comportamento, aí eu vou querer uma perícia completa na casa deste sujeito para ver se ele é mesmo santo. Vou ver se ele come de vez enquando peixe no almoço e fica depois dizendo estas coisas, entende? Também não transmito textos onde diz que para uma pessoa amar ela tem de ser perfeita e que existe uma diferença de fronteira bem clara entre amor e paixão. Isso eu simplesmente não acredito. Tais verdades partem de premissas sempre falsas. Parte de pessoas rígidas para como os outros e que não expoem o seu avesso, pessoas que bem poderiam ter mais liberdade e imaginação. Assim quando Camões escreve sobre o amor naquele seu lindo poema tão conhecido hoje em dia na web ele coloca tudo no mundo ideal, no mundo perfeito das idéias onde Platão influenciou o Romantismo. Ele não trás um conjunto de leis inaplicáveis aqui para a terra. Outros textos pretendem o seu leitor pratique moralismos inaplicáveis a seres erráticos. Estes não merecem citações e muitas vezes são anônimos ou de autor desconhecido.
A propósito, um colega que fazia leituras espirituais e trocava idéias comigo me alertou sobre alguns livros de espirtualismo em especial onde há lições simplesmente impraticáveis. Certo estava ele.

quinta-feira, agosto 18, 2005

Lógica

O material precioso que coloco aqui quase que na íntegra sobre o assunto com algumas modificações adaptadas à internet é do livro

Trabalho dirigido de Filosofia
Parisi - Cotrim
Edição Saraiva
2º grau-



Você faz parte...



"A palavra lógica origIna-se do grego logos que significa raciocínio. A função da lógica é muito ampla: oferecer a estrutura pela qual o pensamento deve ser orientado para a procura e demonstração da verdade.

Na aplicação da lógica, nos defrontamos basicamente com dois tipos de problemas:

Estabelecer a forma correta do pensamento para que ele possua validade.


Estabelecer a forma correta do pensamento para que ele corresponda a algum fato da realidade, motivo da nossa preocupação.

Em decorrência destes dois tipos de problema, nascem as duas grandes divisões da lógica:

***************************************

LÓGICA FORMAL E LÓGICA MATERIAL

***************************************

LÓGICA FORMAL

A lógica formal preocupa-se com a maneira pela qual o pensamento deve se apresentar para ser correto. Em outras palavras, preocupa-se em estabelecer a forma pela qual o pensamento deve ser enunciado para que possua validade.

Primeira parte: a apreensão dos fatos e o nascimento das idéias

Através da simples apreensão, tomamos conhecimento de um fato, nada afirmando ou negando sobre ele. Durante esta etapa, colocamos dentro de nós o conhecimento de algo proveniente da realidade, gerando, desta nameira, a formação de uma idéia.

O enucniado de uma determinada idéia através da palavra falada ou escrita recebe o nome de termo.

Ex: Dois rapazes ouvem música. Um deles concebe a idéia de que a música é linda e em seguida procura transmiti-la através da palavra falada e escrita.

A transmissão de uma idéia através da palavra falada ou escrita constitui o termo, que pode ser formado de uma ou de diversas palavras, dependendo da idéia que se deseja transmitir.

O termo, por se originar de uma idéia, não pode jamais ser incoerente, uma vez que nossas idéias não podem ser confusas; elas precisam ser definidas para que sejam corretas.

Em lógica, chamamos de definição o enunciado das qualidades essenciais de uma idéia, ou seja, o enunciado de tudo o que se refere a uma idéia e apenas àquela idéia.

*Vento é o ar em movimento das manhas de primavera.
Esta não é uma boa definição porque é muito restrita.

*Vento é o ar.
Esta não é uma boa definição porque é muito ampla.

*Vento é o ar em movimento.
Esta é uma boa definição porque enuncia as qualidades essenciais do vento.

A definição de uma idéia deve ser válida para todos os objetos a que ela se refira _ extensão da definição _ e deve estabelecer as propriedades que os objetos precisam possuir para pertencerem àquela idéia_ compreensão da definição.

Se eu digo, por exemplo, que o homem é uma animal racional, essa idéia se estende tanto para Carmem, como para Rose, Roberto, Plínio, etc., pois todos estes seres comportam a propriedade de serem animais racionais.

Segunda parte: relacionando idéias

De posse de determinadas idéias, começamos a relacioná-las entre si. Desta relação resulta o juízo que é a afirmação ou negação que se faz entre duas idéias.

Ex: Um rapaz relaciona a idéia de livro à idéia de muito bom. Enunciou um juízo.

Terceira parte: ordenando os juízos

Depois de formular os juízos, isto é, depois de comparar as idéias, a nossa inteligência começa a ordená-los, buscando uma conclusão antes desconhecida. Esta operação mental recebe o nome de raciocínio.

O enunciado de um raciocínio através da palavra falada ou escrita chamamos de argumento.

Vejamos o exemplo clássico de um argumento:
*****************************************

ANTECEDENTE___

Todo homem é mortal
Socrátes é homem


CONCLUSÃO_______Logo, Sócrates é mortal.

**********************************************
Através do exemplo acima podemos observar que o argumento se compõe de proposições antecendentes que encaminham o raciocínio para uma conclusão.

Existem basicamente dois tipos de raciocínio: o dedutivo e o indutivo.

O raciocínio dedutivo é aquele que parte de antecedentes gerais e chega a uma conclusão particular.

Ex:

ANTECEDENTE GERAL: Toda matéria ocupa lugar no espaço.
Este livro é uma matéria.

CONCLUSÃO PARTICULAR: Logo, este livro ocupa lugar no espaço.

Por outro lado, o raciocínio indutivo é aquele que parte de antecendentes particulares e chega a uma conclusão geral.

Ex.
ANTECEDENTE PARTICULAR: Os animais vertebrados se nutrem.
Os animais invertebrados se nutrem.

CONCLUSÃO GERAL: Logo todos os animais se nutrem.

O raciocínio indutivo, partindo de verdades particulares, tende a chegar a conclusões apenas provavelmente corretas, enquanto que o raciocínio dedutivo, partindo de verdades gerais, tende a chegar a conclusões seguramente corretas. Isto porque no raciocínio indutivo a conclusão não está implícita no antecedente, ao passo que no raciocínio dedutivo a conclusão está implícita no antecedente.

UM ARGUMENTO CHAMADO SILOGISMO

O silogismo é um argumento formado de dois antecedentes e uma conclusão. Estes antecedentes recebem o nome de premissas.
********************************************

PREMISSAS: Toda música é formada de sons musicais.
A Aquarela do Brasil é uma música.

CONCLUSÃO: Logo, a Aquarela do Brasil é formada de sons musicais.

**********************************************

O silogismo é composto de três proposições onde podemos destacar três termos: termo maior, termo menor e termo médio, que você poderá identificar através do exemplo abaixo:

Termo médio...A verdadeira arte

possui valor. ......Termo maior


Termo menor....Este quadro é
uma verdadeira arte. .......Termo médio.

Termo menor.....Logo, este quadro

possui valor. .........Termo maior.

A validade dos silogismos

Do ponto de vista da lógica formal, existem tradicionalmente três regras que nos permitem averiguar a validade dos silogismos.
Estas regras são:

a. O silogismo deve conter apenas três termos.

Exemplo de transgressão a esta regra:

A rosa tem várias pétalas.
Rosa é uma menina.
Logo, uma menina tem várias pétalas.

O silogismo acima transgride a primeira regra porque possui quatro termos, visto que o termo médio rosa é tomado em dois sentidos: rosa nome de flor e Rosa nome de mulher.

b. De duas premissas negativas, não se pode concluir nada.

Exemplo de transgressão a esta regra:

Jair não é um mau violonista.
Um mau violonista não é um artista.
Logo, Jair não é um artista.

c. De duas premissas particulares, não se pode concluir nada.

Exemplo de transgressão a esta regra:

Algumas pessoas não são educadas.
Algumas pessoas não são inteligentes.
Logo, alguns inteligentes não são educados."

Gostaram? Tirei fora os exercícios do livro e pretendo trazer para vocês o próximo capítulo:

LÓGICA MATERIAL

*As borboletinhas colocadas aqui são material da internet de autoria desconhecida.


"Que diacho! Eu gostava do meu cusco "

Você faz parte...

da autoria de Alcy Cheuiche

(gentileza de Daniel Cassol para a web
Esqueci de anotar o site. Tem esta poesia em CD aqui em casa.)

"Entendo.
Envelheci
entendendo.

Bicho não tem alma,
eu sei bem, mas será que vivente tem?

Que diacho!

Eu gostava do meu cusco.
Era uma guaipeca amarelo,
baixinho,
de perna torta,
que me seguiu num domingo,
de volta de umas carreira.
Eu andava meio abichornado,
bebendo mais que o costume,
essas coisa de rabicho,
de ciúme,
vocês me entendem,
ele entendeu.
Passei o dia bebendo
e ele ali no costado me
olhando de atravessado,
esperando por comida.
Nesse tempo era magrinho
que aparecia as costela.
Depois pegou mais estado
mas nunca foi de engordá.
Quando veio meu guisado,
dei quase tudo prá ele.
Um pouco, por pena dele,
e outro, que nesse dia,
só bebida eu engolia por causa
dos pensamento.
Já pela entrada do sol,
ainda pensando na moça
e nas miséria da vida,
toquei de volta prá casa e
vi que o cusco magrinho
vinha troteando pertinho,
com um jeito encabulado.
Volta prá casa, guaipeca!
Ralhei e ralhei com ele.
Parava um pouco,
fugia,
farejava qualquer coisa,
depois voltava prá mim.
O capataz não gostou,
na estância só tinha galgo,
mas o guaipeca ficou.
Botei o nome de sorro,
as crianças,
de brinquinho,
mas o nome que pegou foi de
guaipeca amarelo.
Mas nome não é o que importa.

Bicho não tem alma,
eu sei bem.
Mas será que vivente tem?

Ficou seis anos na estância.
Lidava com gado e ovelha
sempre atento e voluntário.
Se um boi ganhava no mato,
o guaipeca só
voltava depois de tirá prá fora.
E nunca mordeu ninguém!
Nem as índia da cozinha que inticava com ele.
Nem ovelha,
nem galinha,
nem quero-quero, avestruz.
Com lagarto,
era o primeiro
e
mesmo piquininho corria mais do que um pardo.
E tudo ia tão bem...
Até que um dia azarado
o patrãozinho noivou e
trouxe a noiva prá estância.
Era no mês de janeiro,
os patrão tava na praia,
e veio um mundo de gente,
tudo em roupa diferente,
até colar, home usava,
e
as moça meio pelada,
sem sê na hora do banho,
imagino lá no arroio,
o retoço da moçada.
Mas bueno, sou doutro tempo,
das trança e saia rodada,
até aí não tem nada,
que a gente respeita os branco,
olha e finge que não vê.
O pior foi o meu cusco,
que não entendeu,
por bicho,
a distância que separa
um
guaipeca de peão
da cachorrinha mimosa
da noiva do meu patrão.
Era quase de
brinquedo a cachorrinha da moça.
Baixinha,
reboladera,
pêlo comprido e tratado,
andava só na coleira
e tinha medo de tudo,
por qualquer coisa acoava.
Meu cusco perdeu o entono quando viu a cachorrinha.
E les juro que a bichinha também gostou do meu baio.
Mas namoro,
só de longe
que a cusca era mais cuidada que touro de exposição.
Mas numa noite de lua,
foi mais forte a natureza.
A cadela tava alçada e o guaipeca atrás dela
entrou por uma janela e foi uma gritaria
quando encontraram os dois.
Achei graça na aventura,
até que chegou o mocito,
o filho do meu patrão,
e disse prá o Vitalício que tinha fama de ruim:
Benefecia o guaipeca prá que respeite as família!
Parecia até uma filha
que o cusco tinha abusado.
Perdão,
le disse,
o coitado
não entende dessas coisa.
Deixe qu'eu leve prá o posto
do fundo, com meu cumpadre,
depois que passá o verão.
Capa o cusco, Vitalício!
E tu, pega os teus pertence
e vai buscá teu cavalo.
Me deu uma raiva por dentro
de sê assim despachado
por um piazito mijado
e ainda usando colar.
Mas prometi aqui prá dentro:
mesmo filho do patrão,
no meu cusco ninguém toca.
Pego ele, vou m'embora e acabou-se a função.
Que diacho!
Eu gostava do meu cusco.

Bicho não tem alma,
eu sei bem.
Mas será que vivente tem?


Campiei ele no galpão, nos brete,
pelas mangueira e nada do desgraçado.
No fim, já meio cansado,
peguei o ruano velho e fui buscá o meu cavalo.
Com o tordilho por diante,
vinha pensando na vida.
Posso entrá numa comparsa,
mesmo no fim das esquila.
Depois ajeito os apero e busco colocação,
nem que seja de caseiro,
se não me ajustam de peão.
E levo o cusco comigo
pois foi o único amigo
que nunca negou a mão.
Nisso, ouvi a gritaria e os ganido do meu cusco
que era um grito de susto, de medo,
um grito de horror.
Toquei a espora no rua
no mas era tarde demais.
Tinham feito a judiaria e o pobrezinho sangrava,
sangrava de fazê poça
e já chorava fraquinho.
Peguei o cusco no colo
e apertei o coração.
O sangue tava fugindo,
não tinha mais esperança.
O cusco foi se finando e os meus olho chorando,
chorando como criança.
Que diacho!
Eu gostava do meu cusco.

Bicho não tem alma, eu sei bem.
Mas será que vivente tem?


Nessa hora desgraçada
o tal mocito voltou
prá sabê pelo serviço.
Botei o cusco no chão,
passei a mão no facão
e dei uns grito com ele,
com ele e com o Vitalício!
Ele puxô do revólver
mas tava perto demais.
Antes que a bala saísse,
cortei ele prá matá.
Foi assim, bem direitinho.
Não tô aqui prá menti.
É verdade
qu'eu fugi mas depois
me apresentei.
Me julgaram
e condenaram mas o pior que assassino,
foi dizerem
que o motivo era pouco prá o que fiz...
Que diacho!
Eu gostava do meu cusco.

Bicho não tem alma, eu sei bem.
Mas será que vivente tem?"

Tá...Não chora.

(A formatação foi difícil aqui e não ficou ótima eu bem sei. A formatação é minha.)

Como constroem-se os silogismos

Você faz parte...

Silogismo não é coisa só de Filosofia.
Estamos sempre construindo silogismos quando pensamos.

Um silogismo é constituído de duas ou mais premissas e uma conclusão.

É preciso que cada premissa de um silogismo e sua conclusão sejam verdadeiras. A conclusão depende muito das premissas verdadeiras, mesmo assim, duas premissas verdadeiras podem resultar em uma conclusão falsa engrandecendo o problema da lógica.

PREMISSAS:

Premissa I: Quem tem um amor precisa cuidar dele.

Considero esta premissa verdadeira. E você?

"Tu te tornas eternamente responsável pelo que cativastes." (A. S. E._podem achar tb. que a premissa é falsa- depois vou procurar um exemplo mais cabal.

Premissa II. O romance de Romeu e Julieta acabou mal. - Sim, todos sabem que o Romance deles deu no que deu.

CONCLUSÃO: O romance entre Romeu e Julieta acabou por falta de cuidados. _ Conclusão falsa.

E a rival de Julieta se houvesse diria: "Aha...Eu não disse? Eu bem que avisei que não ia dar certo. he...he... E a culpa foi de Julieta."

A conclusão falsa de uma silogismo assim é frustante, cruel e injusta, além de ser pouco racional.
Sorry!

O problema que ocorre neste silogismo acima é um erro de generalização em termos partido do particular para o geral. Por isso o método da Ciencia é preferencialmente dedutivo e não indutivo, partindo do geral para o particular. Isso oferece mais segurança, embora em alguns casos particulares usem a indução exigindo muita precisão de raciocínio.

Acho que o que ocorreu no caso desta conclusão acima é falta de imaginação ou esperteza para enganar quem for bobo. Tenho observado muito este problema na oposição da CPI nos textos sobre relacionamento, em poesias simplorias e mal feitas. Concluo que a falta de silogismo adequado é fatal para a qualidade. No Direito trás julgamentos injustos. Um texto completamente indigesto que lemos deve ser relido para ver se não há nele uma lógica falsa. Geralmente é o que ocorre quando não gosto de um texto ou de algo que alguém me fala: silogismo falso. Os textos que me fazem mudar não agridem, por outro lado. É preciso neste caso dissecar a lógica e reiniciar o raciocínio cuja clareza nos apacenta. Os mais versados em logistica, aliás, deixam as conclusões muitas vezes em aberto, técnica que se torna na proposição de um tema algo bastante convidativo e aberto. Isso exige boa freguesia. Nem sempre gosto desta técnica, pois pode servir como mecanismo de manipulação e de indução do raciocínio para onde aquele que lança as premissas deseja. (Pode resultar em metodo de conversão que não respeita os caminhos da alma alheia)

Vemos silogismos em toda parte. Eles minam as idéias, textos e discursos quando mal construídos.

O leitor de qualquer texto, o advogado, o médico, o estudante, enfim todos precisam ter senso crítico em relação à construção do próprio raciocínio e a do racicínio dos demais na medida em que todos nós absorvermos falas e escritas a todo momento. Esta boa observação pode nos salvar de erros e injustiças.

Há diversos tipos de silogismos e isso pode complicar bastante. Complicar aqui não vem ao caso. Quero ver se volto a falar neste assunto depois de consultar os meus alfarrábios.

Como nada acontece por acaso não é por acaso que coloco esse assunto aqui, podes crer. É porque está na hora.

quarta-feira, agosto 17, 2005

Mais mantras

Você faz parte...

Mais mantras:

Om tare ture tuttare ture soha (libera o medo- é o mesmo do post abaixo com outra função)

Om (ohm)
Representação do Ser Supremo*

Om Shanti (ohm shahn-tee) A Paz de Deus*.

Om mani padme hum (ohm mah-nay pahd-may hoom) Para abrir o coração desenvolvendo a compaixão- e outras funções.

Não sei exatamente de que linha são estes mantras na totalidade, pois alguns mantras são comuns ao Budismo e a yoga. Outros são só do budismo, da yoga e acho que posso dizer etc.
A língua muitas vezes é o Sânscrito.

*No Budismo não se fala em Deus. No tempo de Buda haviam discuções sobre a existência ou não de Deus e Buda considerou que para o Budismo não importa se Deus existe ou não. Não seria da alçada do homem discutir este assunto. Com a meditação, no entanto, chegamos ao que o Budismo chama de Vacuidade, algo semelhante ao Nada, mas não igual.

*Deus é uma tradução muito usada por nós para o pensamento oriental,embora não seja conceito do Budismo que se refere à Vacuidade ou a Unicidade, mas não a Deus propriamente, embora hoje alguns filósofos orientais possam ser deistas. Quanto a Yoga eu não arrisco muitos palpites, mas há um panteão de deuses hindus. Estas entidades são compreendidas por nós que gostamos de Espiritualismo aqui no Ocidente como sendo entidades arquetípicas, simbólicas, de modo geral. Elas representam aspéctos da Espiritualidade e da Bonança como Prosperidade e Compaixão. Há entidades que incorporam o Budismo Tibetano sem contudo terem o caráter de deuses propriamente ditos e são conseqüencias da cultura e tradição.

Eu creio em Deus porque sou ocidental e tive esta formação de crer nele. É uma linguagem que para alguns não consegue-se traduzir. A Vacuidade é outro conceito. Eu compreendo e é difícil traduzir. Não crer em Deus ou na Vacuidade para mim não é completamente traduzido. As concepções de Deus diferem um pouco conforme as principais religiões ocidentais. Eu entendo estas diferenciações. Quanto ao ateísmo: Eu não entendo isso completamente. Apenas aceito como sendo algo diferente de mim também com muitas idéias em comum com as minhas.

Muitos dos meus conhecimentos de Budismo (que são poucos) devo ao Padma Santem. Faz tempão que não vou ao Templo.

Os pronomes meu, minha...etc...indicam aqui a forma como nos apropriamos de alguns conceitos e de outros não. Podemos nos apropriar ou acharmos que estamos nos apropriando, pois nos apropriamos em parte. Estar lá e ser como eles do outro lado do mundo é bem diverso daqui.

Eu deveria poupar o Nome Daquele que não É até onde conseguimos chegar em palavras, pois vai além.

Vamos elevar


Você faz parte...



...a energia do nosso ambiente, do nosso País, do nosso Mundo. E podemos. Cada um de nós é uma Centelha Divina, uma Chama Acesa, uma Vida. Por isso trouxe algo para nós muito espécial que veio da Índia, Mantras, palavras do bem que devem ser repetidas. Lendo hoje sobre isso eu desconfiei que posso estar repetindo muitas palavras não positivas.

Não se incomode em falar em voz alta estes mantras. Não devemos nos incomodar com o que os outros pensam quando temos certeza que estamos fazendo algo para o bem.

Do Hinduísmo para dizer:

Ohmmmmmmmm
Om namah Sivaya
(pronuncie namá e Siváia)

Ohm (estenda sempre o som do Om com o h mudo aqui)
Ohm namah Sivaya
Ohm
Om namah Sivaya
Ohm
Om namah Sivaya
Ohm
Om namah Sivaya
Ohmmmmmmmmm

Positividade- Verdade
**********

Hari Ohmmm (pronuncie o H aspirado à semelhança de um R gutural)
Hari Ohmmm
Hari Hari Hari
Ohmmmmm

Mantra da Saúde
********************

Ohm Tare tuttare ture Svaha (pronunci-se so-há ou so-ha)
Para invocar auxílio incondicional e compaixão
*********************************************

“gate gate paragate parasamgate Boddhi Svaha” (so-há ou so-ha)

"Atravesso atravesso, atravesso o rio da ilumição"-"indo indo indo além alcançando a luz"-a tradução nem sempre é literal, mas fiquemos com a idéia.

"Porque muitas vezes parece difícil demais alcançar alguns objetivos, principalmente a Iluminação Espiritual. Com esse mantra, conseguimos fazer uma coisa de cada vez, realizar o que é possível a cada dia, simplesmente andar pelo caminho. Assim, vamos indo, indo, indo além e mais adiante e, quando percebemos, já teremos alcançado. " -Zantina

Se você se sente melhor faça mantras com palavras da nossa própria lingua como

Paz e Amor
Paz e amor
Paz Paz Paz e Amoooooorrrrr

Faça uma musiquinha para os seus mantras ou use uma melodia simples para dizer-los se não conhece a sonoridade exata dos mantras. Ou se não gostarias apenas diga-os. Os resultados são surpreendentes.

Com a nossa cultura Ocidental à respeito de muitas práticas espirituais as pessoas costumam dizer: Sim, mas tem de fazer alguma coisa junto para "ajudar o Santo". Eu não acho. Faça seus mantras, suas orações e suas práticas, pois o mais difícil não vai ser você fazer alguma coisa: o mais difícil vai ser nós ficarmos parados meditando. He...he...

Fonte de pesquisa: Zantina no site que reativou-me os conectores.

Sabedoria dos Mestres

terça-feira, agosto 16, 2005

Queda da

anistia para crime político de tortura na Argentina.

“A tortura é um crime que não pode ser anistiado”

Los Hermanos- 01/07/2005 a notícia foi publicada na AOL


Imagem Getty publicada pela AOL

Você faz parte...

Esta é uma curtinha.

Volta dos Cara Pintadas

Foto da AOL-Brasil
Você faz parte...




procura evitar golpe da Direita ou a sua oportuna tomada do poder
e conseqüente retrocesso
das conquistas sociais e democráticas obtidas no Brasil
não apenas da parte do PT, mas convêm reconhecer que
do povo e dos partidos da esquerda que vêem conquistando liberdade e democracia verdadeira (e aqueles que querem derrubar estas conquistas se autodenominam democratas)
"Agência Brasil Brasília -
Com os rostos pintados de verde e amarelo
cerca de 5 mil estudantes integrantes de
movimentos sociais estão concentrados em frente à Catedral de Brasília,
de onde seguirão para o Ministério da Fazenda e depois para o Congresso Nacional.
Segundo o presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE),
Gustavo Peta,
a expectativa é que o ato público reúna cerca de 10 mil
manifestantes na Esplanada dos Ministérios.
Peta disse que a manifestação é em defesa da reforma política,
pela apuração das denúncias de corrupção
no país e por mudanças na política macroeconômica
que permitam o desenvolvimento social.
"Achamos que a saída para a crise política no Brasil passa por esses pontos",
afirmou.Segundo Peta, o ato representa a volta dos caras-pintadas e é o início,
de uma série de mobilizações em todo o país.
Ele destacou que os manifestantes não defendem a saída
do presidente Luiz Inácio Lula da Silva do poder, porque isso poderia "abrir espaço para a volta da direita".
Os manifestantes gritam palavras de ordem, como "olé, olé, olá, a direita quer voltar;
é golpe é golpe, por isso eu vou lutar".
Por causa da manifestação,
o trânsito na Esplanada dos Ministérios foi interrompido no sentido rodoviária Congresso Nacional.
O evento é promovido pela Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS),
fórum do qual a UNE faz parte,
junto com a Confederação Nacional de Associações de Moradores (Conam),
Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST),
União Nacional por Moradia Popular (UNMP),
Central de Movimentos Populares (CMP),
União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e Pastoral da Terra,
entre outras entidades."
Do Jornal da AOL do Brasil
A formatação é minha
Jayne Caetano Braun do site dedicado a ele:

E o Jayme?

Você faz parte...

Por Telmo de Lima Freitas

"Dizia ele:

- A minha academia foi quando bolichei, quando andei de fogão em fogão, olfateando a terra vermelha do meu chão, ali foi o meu bebedor das coisas campeiras.
O cantador galponeiro encilhou seu flete pela última vez e partiu para a tropeada mais longa, tendo como sinuelo a estrela boeira.

Jayme Caetano Braun,
Filho de São Luiz Gonzaga,
No terceio duma adaga,
Nunca se enliou nas esporas.
O payador das auroras,
O campeador gauchesco,
Abriu coivara payando,
Alçou um vôo acenando
Com a aba do chapéu,
Sabendo que,
lá no céu,
Existem alguém esperando.
Quem sabe o Ciro Gavião,
Quem sabe Aureliano Pinto,
Quem sabe o negro retinto,
Que se chamava Anastácio,
Quem sabe até don Pascácio,
Andejo dos corredores,
Guasqueiros,
alambradores,
Ginetes da cepa antigaVão esperar com cantiga
O maior dos payadores.
Deixou tropilhas de rimas,
Retouçando nos galpóes,
As futuras gerações
Seguirão teu catecismo,
Honrarão teu gauchismo
Que jamais será disperso.
Pois quem deixou universo
De payadas igual às tuas
Volta nas noites de lua
Para enfrenar mais um verso. "

tirei daqui

Momentos antes da Revolução de 64 meu pai pegou algumas fitas de rolo com discursos e poesias de Jayme Caetano Braun e desgravaram as presas, pois já sabiam do perigo de qualquer arte ser subversiva (um dos meus tios fez uma fogueirinha no fundo de um pátio para queimar vários livros da família). Mas, alguma coisa ainda resta, pois não deu tempo de desgravar tudo e nem deu tempo de perceberem tudo. Meu pai não era comunista. Era do PTB do Brizola, do grupo dos onze e perdeu o mandato de deputado. Hoje ele é preferencialmente do PMDB.
Colocando aqui a música abaixo de Luiz Coronel que no final não achei o midi, lembrei-me também de Jayme Caetano.

PS. Algo engraçado que ocorreu nesta mesmo época a que me refiro foi a aprensão de uns rádio amadores que meu primo cientista tinha inventado quando pré-adolescente para brincar com os amigos. Os militares pensaram que fossem espiões e acharam as crianças com os rústicos aparelhos.

Pilchas

Você faz parte...

Música: Pilchas

Autores: Luiz Coronel - Airton Pimentel
Intérprete: Leopoldo RassierA E7 A

E7 A
Não pense que são pirilampos estas estrelas lá fora

E7 A
É a lua clara dos campos refletida nas esporas

E7 A
Não pense que são pirilampos estas estrelas lá fora

E7 A
É a lua clara dos campos refletida nas esporas

F#m C#7 F#m
Se uso vincha na testa é pra ver o mundo mais claro

C#7 F#m
Não tendo o mundo por frestas eu posso fazer reparos

C#7 F#m
Sem cinturão ou guaiaca me sinto quase que em pelo

C#7 F#m
Quando meu laço desata sou carretel sem novelo

E7 D C#7
Na bodega levo um trago pra matar a minha sede

F#m E7 D C#7
Meu chapéu de aba quebrada de beijar santo em parede

F# G#m7 C#7 F#
(Atirei as boleadeiras junto a noite que surgia

G#m7 C#7 F#
Noite adentro entre as estrelas se tornaram Três Marias)
Int.

Corrupção

Você faz parte...

...Apartidária
Sem ideologia
Não suporta transparência e seu maior substrato é o medo, seu falso alicerce .
Quero a verdade por mais amarga que seja.

Se um dia eu cheguei a achar que alguma ideologia estava imune a corrupção eu nunca mais pensarei assim. E sempre respeitei pessoas com idéias diferentes das minhas e que são honestas. Vivemos no mundo dos relativos.

Sou vegetariana

Você faz parte...

...mas a perspectiva de engolir o Lula com cabelo, barba, bigode e óculos me deixa otimista. Não desejo outro prato.

Obviamente que a frase "eles vão ter de me engolir" ou algo assim foi dita para a elite econômica capitalista e neoliberal que não aceita Lula e nem as idéias do PT. Tem gente que fica com os títulos e não lê as reportagens por outro lado. Presas fáceis de manipulação...

Tem aqueles que aproveitam raiva e indignação das pessoas para manipular com isso tb. Cuidado!

Hoje a imprensa manipula frases apartadas do seu contexto para manipulação da idéia das massas.

Ser Feliz

Você faz parte...

Assunto: Ser feliz Data: 15/8/2005 18:16:57 Hora oficial do Brasil Enviado pela Internet (Detalhes)

“Ser feliz não é ter um céu sem tempestades,
caminhos sem acidentes,
trabalhos sem fadigas,
relacionamentos sem decepções.
Ser feliz é encontrar força no perdão,
esperança nas batalhas,
segurança no palco do medo,
amor nos desencontros.
Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso,
mas refletir sobre a tristeza.
Não é apenas comemorar o sucesso,
mas aprender lições nos fracassos.
Não é apenas ter júbilo nos aplausos,
mas encontrar alegria no anonimato.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver a vida,
apesar de todos os desafios,
incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz não é uma fatalidade do destino,
mas uma conquista de quem sabe viajar
para dentro do seu próprio ser.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos
problemase se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si,
mas ser capaz de encontrar um oásis
no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã
pelo milagre da vida.
Ser feliz,
é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um “não”.
É ter segurança para receber uma crítica,
mesmo que injusta.
É beijar os filhos,
curtir os pais e ter momentos poéticos com os amigos,
mesmo que eles nos magoem.
Ser feliz é deixar viver a criança livre,
alegre e simples que mora dentro de cada um de nós.
É ter maturidade para falar “eu errei”.
É ter ousadia para dizer
“me perdoe”
É ter sensibilidade para expressar
“eu preciso de você”
.É ter capacidade de dizer “eu te amo”.
Desejo que a vida se torne um canteiro
de oportunidades para você ser feliz.
Que nas suas primaveras você seja amante da alegria.
Que nos seus invernos você seja amigo da sabedoria.
E, quando você errar o caminho,
recomece tudo de novo.
Pois assim você será cada vez mais apaixonado pela vida.
E descobrirá que
...Ser feliz não é ter uma vida perfeita.
Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância.
Usar as perdas para refinar a paciência.
Usar as falhas para esculpir a serenidade.
Usar a dor para lapidar o prazer.
Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.

JAMAIS DESISTA DE SI MESMO.
JAMAIS DESISTA DAS PESSOAS QUE VOCE AMA.
JAMAIS DESISTA DE SER FELIZ,
POIS A VIDA É UM ESPETÁCULO IMPERDÍVEL.
E VOCE É UM SER HUMANO ESPECIAL”

Por Augusto Cury



E-mail enviado pela Bárbara Bela

Escolha

Você faz parte...

Retirei o último post que eu coloquei aqui, pois há uma falta muito grande de correspondência com as minhas idéias quando elogia a ditadura militar_era um linque_. Se é algo que vencemos, conquista do povo em sua maioria foi a abolição desta ditadura que trouxe com essa as Eleições Diretas.

Hoje tenho ouvido falar na dicotomia entre Desenvolvimentismo e entre Neoliberalismo. Fases da Política Desenvovimentista no Brasil foram o populismo e a ditadura militar. Passado este período o Desenvolvimentismo poderia ter alicerçado melhor uma passagem para a Democracia como ocorre hoje em alguns paises latino americanos, mas surgiu em 1989 o Neoliberalismo de Collor que jogou fora as conquistas dos trabalhadores, causou inflação e desemprego, só ouviamos que deveriamos segurar o cinto. A partir daí o Neoliberalismo que acolhe a burguesia e humilha o povo se tornou enfraquecido em alguns momentos e se consolidou no governo de FCH trazendo um clima infernal para dentro das instituições onde se falava em competição acirrada entre iguais tendo ocorrido durante todo o período neoliberal as diversas "frituras" para trabalhadores, nome ingênuo do Assédio Moral dentro das empresas e setores públicos que devido a uma conscientização a partir de muitos casos, a partir dos EUA, iniciaram-se alguns Processos de Idenização por Danos Morais no caso destes assédios com exemplos tão claros em mim e tão perto de mim em muitos casos em que não houve processo algum pela dificuldade de provas e pelo medo das pessoas que fingem não saber para sobreviver. Era como uma nova escravidão, o trabalhador sendo massacrado, os escritórios de qualidade total passando filmizinhos de cunho superficial estimulando competição maior que a solidariedade que possa haver entre as pessoas que se ajudam naturalmente e que são capazes de usar a sua criatividade sem manipulação. Tudo dentro de um setor de trabalho foi encutindo medo dentro do trabalhador, estimulando a fofoca e a ridicularização das pessoas. Esse cenário fez parte viva e pungente do Neoliberalismo do qual ainda corremos perigo e mesmo com toda a corrupção que ocorreu ou ocorre no âmago do PT, podemos dizer que houve franca melhora da situação de dignidade do trabalhor, do aluno, do paciente e até mesmo da dona de casa brasileira. As pessoas passaram a trabalhar com ideal, se formaram muitas oficinas para ensinar trabalhos práticos para as pessoas melhorarem de vida, houve diversos planos de assistência ao artesão, muitas pessoas foram alimentadas quando passavam fome e tudo isso foi feito de forma que uma sensível aura de dignidade emerge humilde de dentro da gente percebendo ninguém precisa destruir ninguém ou usar muitas defesas em termos de ego para se autoconstruir e se manter.

Corrupção: precisa ser investigada totalmente para ver se salvamos a partir daí conquistas sólidas e em vias de se consolidarem.

segunda-feira, agosto 15, 2005

Justiça

Você faz parte...

Desejo um tempo em que as pessoas possam encontrar-se livremente com a Justiça.
Digo isso e não deve ocorrer o fato de para a gente tentar tirar alguém do poço ser arrastado junto como ocorre em alguns casos. Casos esses em que só vale a pena calar e onde não há contraditório, princípio especial de direito em que não se julga sem ouvir a outra parte...
Casos onde não há provas e os julgamentos são hipotéticos...onde se deduz por uma lógica ligeira e apressada através de uma filosofia calcada em falsos sofismas considerando uma lógica que não admite quebra da lógica por falta de imaginação; como se a vida toda fosse muito lógica. Estes são os mesmos paradigmas fracos que levaram a anos atrás vários inocentes à pena de morte nos EUA e em outros paises antes que aparecessem os exames de DNA e fosse comprovada a inocência destes mesmos réus. Este é o mesmo paradigma que pode estar levando um pais a bancarrota se não tomarmos cuidado.

Estamos no "guarda-chuvas furado" como falaram na TV ou na mesma canoa furada. Devido aos últimos acontecimentos o Crescimento Interno Bruto do Brasil não vai acompanhar por algum tempo o crescimento dos demais paises da América Latina e se as pessoas não pararem de sentir tanto ódio e não pararem de gritar, pensando mais com a cabeça do que com o fígada o tal crescimento vai se transformar em descréscimo.

Alguém pode querer acabar com Fulano, com Beltrano ou com o PT quando deveria estar pensando no que podemos contruir a partir de algumas ruinas que restarão após desvendarmos mais e mais verdades que precisam ser reveladas. O processo de revelação da verdade não deve ser interrompido. Penso que esta seja a atitude mais inteligente e sensívelmente bem direcionada neste momento.

A Justiça se faz cega na medida em que a lógica dos meros indícios não prevê além das aparências instantâneas.

Comparar Lula com Collor é antes de mais nada comparar um processado com um não processado politicamente. Se os processos dão margem a erros, sem este aparelho onde temos um julgamento metódico e com muito estudo a margem de erros torna-se muito maior e cada brasileiro pode se tornar um juiz do seu próximo. Basta uma simples frase, uma simples premissa e aparecem muitos "santos" condenando "criminosos".

"Nem bem um defunto esfria e já se servem de suas riquezas." (ou é mais ou menos isso)

O Régis acha que o problema do Brasil é um problema espiritual. Concordo que seja isso em última análise. Em última análise todos os problemas são espirituais. Tudo será resolvido na Seara do Amor. Seja breve e sem queimar etapas!

Cheque mate para o Brasil


Você faz parte...

*Não há provas, não há sentença para Impeachment algum.

*Impeachment para o Brasil seria cheque mate para toda a Nação neste momento. Seria gol contra.

*O Impeachment significaria um grande retrocesso, pois traria consigo as eleições indiretas. (Foi tão linda a conquista das Diretas Já- Lembra?- Pense bem!)

*Vamos falar no Futuro do Pretérito que é para não dar azar.

* Severino demonstra ser um traidor de Lula e não um companheiro ao declarar que está pronto para assumir mesmo sem ter ocorrido o momento oportuno do término da apuração de provas contra o Lula; primeiro sinal de como ele faria política. Se isso ocorresse e acho que não vai ocorrer,(não pode e não deve ocorrer), tendo em vista que não somos idiotas, o pais perderia totalmente a soberania nas mãos de uma pessoa que a mim pelo menos nunca deu nenhuma prova de capacidade e nem entendo como ele é Presidente da Câmara. Se prestaria como um fantoche para venderem todo o Pais bem baratinho.

*Não é momento para vaidade daqueles que nunca foram do PT ou que foram feridos por ações do próprio PT. Agora chegou o momento de sermos simplesmente brasileiros.

*O povo seja de que lado estiver, seja esquerda, direita ou centro, deve dar tempo ao tempo para que continue a CPI e suas investigações, pois o momento é crucial e isso se faz necessário.

*Em qualquer instância pública muitos ficam com as mãos atadas para denunciar injustiças contra si mesmos ou contra os outros. Eu mesma já passei por isso. Por isso a argumentação: você sabia e não fez nada tem pouca força. Muitos gostariam de fazer alguma coisa e não podem quando ocorre uma trama política mesmo em pequena escala, especialmente sob o signo do terror quando divesas máfias se instauraram não tão somente no mundo quanto no Brasil. Ex: O caso do prefeito do PT que morreu em Santo André porque sabia demais, o caso de Chico Mendes e retrocendendo o caso de alguns alemães que foram mortos por serem contra o nazismo. Quem denuncia corrupção é quem pode fazê-lo, quem pode prová-lo, quem não vai ficar com isso na miséria ou não vai ser preso de modo geral. Caso contrário a gente não denuncia nem o que foi feito com a gente mesma, podem estar certos.

*Prese a nossa liberdade! Ela vem sido conquistada a longa data.