quinta-feira, abril 28, 2005

E ele disse para ela




_Diga me apenas de vez em quando:

Eu existo.

A gente não quer entrar no seu jogo para perder junto. Não queremos acreditar em tudo o que você pensa e em tudo que você diz. Queremos fugir de todas as teias da manipulação e assim mesmo amar e compreender, aceitar...

Sobrinha se você soubesse, se você pudesse saber que queremos o seu bem... Acho que isso iria ajudar ao menos um pouco, um impulso de vida...

Bem-vindo(a) a este lar virtual!

quarta-feira, abril 27, 2005

Dos cristais e das conchas



Haviam mundos incrustados em si mesmos. Mundinhos...E eu sabia fazer parte de um grande todo porque eu via isso na televisão. Mas, todos diziam o quanto era perigoso e eu vivia num lugar muito limpo e sossegado, mas
fiquei sabendo de algo que se chamava amor e foi aí que eu soube o que era
o prazer e o que era dor, porque meu corpo encerrado em si mesmo não tinha mais aquela couraça, aquela concha e eu percebi que tudo o que se refletia em mim através daqueles cristais, num mundo onde eu pensei penetrar cheia de heroismo, era mais complexo do que eu imaginava. Isso é porque haviam mundos e mais mundos e em cada mundo mudavam um pouco as leis. Eu sabia que havia a lei universal do amor, no entanto, sei hoje que ela faz rir e sofrer, sair do involucro que nos protege nos obrigando a vários partos cheios de dor e de júbilo. E nunca mais eu quiz voltar para casa, pois minha casa agora é o cosmos e todos os encontros marcados fazem parte do meu destino embora eu deva saber que heroicamente eu deva ser não apenas corajosa, mas agir com calma, paciência e fé de um dia poder ver que já chegamos lá e estamos juntos e ainda protegidos.


Bem-vindo(a) a este lar virtual!







Bem-vindo(a) a este lar virtual!

domingo, abril 24, 2005

Mamão papaia






?
Natureza ! morta:
Mamão ? papaia
Limão bergamota
Banana maçã
Goi a ba da!
Bom-bom






Bem-vindo(a) a este lar virtual!

Eu e meu gato






E B F# B F# B
Mais um dia desses eu vou fugir de casa e não volto,

e não volto
E B F# B F# B

Vou bater as asas,
só vou levar comigo o
retrato do meu gato

E G C#m F#
Companheiro dessa minha
melancolia, oh...

E B F# B F# B
E você me pede prá
ter paciência
e juí__zo, e juí__zo

E B F# B F# B
Mas o que eu gosto é
de andar na beira
do abismo, abismo

E G C#m F#
Arriscando minha
vida por um pouco de emoção

E B G# C# F# B
Eu e meu gato,
ele na cama, eu no telhado,

B/F# F#
Ele sem as botas e eu sem grana

E B G# C# F# B
Eu e meu gato, ele na cama,
eu no telhado,

B/F# F#
Ele sem as botas e eu sem grana

E (B F# B)

E G C#m F#
Companheiro dessa
minha melancolia, oh...

E B G# C# F# B
Eu e meu gato,
ele na cama, eu no telhado,

B/F# F#
Ele sem as botas e eu sem grana
E B G# C# F# B
Eu e meu gato, ele na cama,
eu no telhado,

B/F# F#
Ele sem as botas e eu sem grana





Bem-vindo(a) a este lar virtual!

quarta-feira, abril 20, 2005






Bem-vindo(a) a este lar virtual!

Do diário de Dorothéia




As doces mentiras ajudaram-me a viver, a ser uma elegante senhorita ou senhora casada, a ter um cabelo sedoso e cheiroso de mata virgem, a sorrir pérolas cultivadas e a sair todos os dias cedo pela manhã se preciso for sem sofrimento.

As tuas mentiras por mais de década fizeram-se saber o que é beijo de garganta e entregar a alma para tomares conta bem aqui neste paraiso.

Doces mentiras podem valer o mesmo que amargas verdades. Há mentiras com um certo percentual de verdade e verdades com um certo percentual de mentira. A cada um cabe um certo percentual de ilusão a ser descontado no final. Mas, quando é mesmo o final.

E eu me dou conta das palavras duras e da tristeza que elas encerram não em si mesmas, mas em mim mesma. Pego todos os rótulos tiro dos frascos e os misturo. Agora vivo. Eis o elixir da vida! Posso estar inteira apesar de todas as vezes em que fui tomada por uma ou por outra neste jogo de luzes e sombras.

Bem-vindo(a) a este lar virtual!

quarta-feira, abril 13, 2005

Este blog tem a proteção





do gato preto contra mau-olhado, e a favor de tudo aquilo que for para o Bem.


Bem-vindo(a) a este lar virtual!

_Dortothéia!


_Sim!!!

_Tenho aquela cicatriz de uma ferida que não dói mais, mas coça um pouco quando vai chover e isso me faz lembrar que eu existo.

_Puxa tia! Que cicatriz amiga! Eu gostaria de ter uma assim.

_Você ainda chega lá, Dorothéia.

domingo, abril 10, 2005

E o conto de fadas continua



Desta vez eu nem vou me dar ao trabalho de contar. No dia de hoje foi publicada a continuação da nossa história a respeito do principe e da princesa e seus dragões. Se você estiver interessado vá para o link:

http://regisdornelles.blogspot.com

Mas, por favor não deixe de se atualizar neste site!


Bem-vindo(a) a este lar virtual!

sábado, abril 09, 2005

Paineira Rosa


Imagens de minha autoria



Suave

deve ser o velho sábio


Um dia verão meus
cabelos assim

e

quero ser suave
para que meus
espinhos me defendam

sem
ser preciso ferir


Há aqueles

que preferem o algodão e sabem
merecê-lo na sutileza,

na
delicadeza,

na suavidade que devem
reger as nossas
humanas relações

*A paineira rosa nos florais "Filhas de Gaia" representa o arquétipo das nossas avós que nos dão todo carinho que só elas podem dar ao seu modo.


Bem-vindo(a) a este lar virtual!

Obs: Este poema foi feito a respeito das minhas próprias fotos, mas está difícil para mim usar minhas próprias imagens na web. Muitos obstáculos...

Ainda sobre



sobre a
princesa Diana:

A princesa somente foi feliz após o casamento. Vivenciou uma solidão acompanhada que muitas mulheres vivenciam. Não era nem sequer a principal mulher para Charles depois de algum tempo. E somente foi feliz quando se dedicou à caridade, algo que poucos conseguem fazer da forma que ela fez. Acho que só mesmo quando uma pessoa abriu de fato o seu coração de uma forma "santa" é pode sentar-se na mesma cama de aidéticos e leprosos sem perder a própria proteção. Nada disso foi forçado.
Foi para Diana a fórmula da felicidade. Ao passo que a mairia faz caridade doando dinheiro ela doou também amor.

Eu não falaria estas coisas se estivesse próximo de Camila, o atual amor de Charles. Acho que não cabe nem comparação e cada pessoa tem o seu processo. Nem tão somente pelas suas ações públicas e populares pode ser julgada uma pessoa. Estas acões, não no caso de Diana, mas em muitos casos me parecem forçadas e teatrais, sem repercuções realmente práticas.
Além do que eu costumo medir a minha admiração por uma pessoa na medida em que ela propicia que os outros também sejam e fiquem melhores e possam se expressar.

Uma conquista no Brasil foi a recente mudança quanto ao crime de adultério que deixou de existir. Além do adultério existiam as leis para mães e pais com filhos que a anos atrás poderiam perder seus filhos caso tivessem um namorado após a separação.Uma mulher casada que namora outro homem talvez possa perder a pensão. Com uma princesa da Inglaterra nos anos noventa poderia ser mais complicado. Por isso, além de outros motivos Diana que estava no automóvel junto ao namorado e um motorista saiu na retirada a alta velocidade numa fuga o que causou a sua morte. Depois de ter sido fotografada, querendo ou não, de diversas maneiras, desta vez ela queria com a maior convicção a sua privacidade. Fica aqui um ponto de interrogação_?_Estava divorciada e tinha a sua vida num palácio. Porque não poderia namorar novamente?

Sabe, eu nunca me interessei muito pela vida da princesa Diana e pela nobresa da Inglaterra, mas esta biografia é interessante. Acho que muitas e muitas biografias são interessantes, nelas eu acho pontos em comum comigo e a vida de uma pessoa é algo muito precioso. Prefiro estar lendo sobre a Diana do que ler sobre o Papa que acabou de falecer. Acho tudo muito teatral ali. Gosto de humildade apenas e não de exageros. Prefiro que pírulas, camisinhas e homosessuais sejam aceitos como algo natural. Gostaria que a eutanásia fosse algo considerado mais natural do que matar milhões numa guerra. Não dou meu veredito a favor do aborto, mas em alguns casos eu não condeno o aborto, como no caso de anencéfalos. Poderiamos ter uma lei a respeito do aborto que fosse bem completa e regulamentada. E gosto muito daquelas atitudes nas pessoas que libertam os outros através do exercício dos próprios direitos muitas vezes. Não aprecio sacrifícios. Não aprecio que beijem os pés de alguém, que beijem o chão e definitivamente não sou católica, embora os anjos possam estar com todos nós e em todas as religiões. A verdadeira caridade é aquela que vem de dentro da gente e nos proporciona felicidade, seja no mais simples gesto como dar um sorriso sincero para alguém receptivo. A verdadeira caridade, a boa, não faz com que um ser humano se coloque numa altura acima do outro ser humano. A veradeira caridade, esta que trouxe felicidade a Diana, sem fazer com que ela deixasse de ter todo o seu glamur, é tudo o que precisamos quando redescobrimos o amor que não será doado a qualquer um que não possa apreciar, mas quando o amor vai ao encontro de quem realmente o recebe e precisa dele. Que tira proveito para crescer no amor...

Quanto a Camila ter que esperar o cortejo do papa para poder ser feliz é uma pena na minha opinião. Ser feliz estando viva e apaixonada é bem melhor do que qualquer morte de qualquer pessoa.

Prestem a atenção naquelas pessoas comuns ou famosas até que estão ao nosso redor. Quantas atitudes carinhosas, quantos gestos de amor ao próximo podemos ver ali em simples atitudes que não são públicas e poucos olhos percebem. Pode valer bem mais a pena do que saber das atitudes públicas dos famosos. Eu sempre pensei assim. Mas, quando li sobre Daina ela se apresentou para mim como estas pessoas que estão bem próximas de nós de alguma forma na sua humanidade.
quantas atitudes

Bem-vindo(a) a este lar virtual!

quinta-feira, abril 07, 2005

Contos de fadas hoje



O mundo não se prepara para um casamento que será realizado neste sábado em uma capela: o casamento do príncipe Charles com a futura duqueza da Cornualha: Camila. Um amor antigo.

Poucos sabem que Camila foi até hoje excluída da História da Inglaterra porque a sua avó era amante do avô de Charles. E os ingleses são talvez ao seu modo tão tradicionais quanto os povos do Oriente.

Muito se sabe de Diana, minha contemporânea, nascida em 1961 (eu nasci em 1962), moça rica e bem educada. O casamento da princesa com o príncipe parecia ter sido tirado de um conto de fadas. O princípe se casou com uma mulher doce e meiga, que gostava de crianças e trabalhava com pequenos, que sabia dançar e gostava de ajudar as pessoas, inclusive ao próprio Charles. Tudo se soube de sua doença, de sua infelicidade, de seu divórcio, do adultério de Charles, da vida de caridade que Diana viveu ao conseguir ter uma vida digna somente depois da sua separação. Uma pessoa que atingiu em sua curta existência um certo grau de santidade...

Mas, quem é Camila? Uma mulher mais velha e um pouco feia, dizem que bem mais culta que Diana e que teve ascendência sobre Charles, alguém submisso a Rainha Mãe, a verdadeira rival de Diana que a sufocou e permitiu que Charles após o seu casamento apenas_ casamento de fachada_ embora até houvesse amor, pudesse procurar Camila. Sem o consentimento da Rainha Mãe, ao meu ver Charles não faz. Charles por outro lado não é um homem mau. Foi um bom pai para os filhos e amou Camila e amou Diana, embora não tenha se relacionado com essa de forma adequada e tenha conseguido junto a realeza e a Inglaterra ocultar tudo sobre Camila.

O rolo ficou tão grande para o lado de Charles que ele foi acusado da morte de Diana. Processo arquivado e tenho Charles para mim como uma pessoa que não é má_preocupado com causas ecológicas e capaz de principesco refinamento_mas apenas um sujeito manipulado, um homem sufocado em sua personalidade e se viu bem como dentro de um palácio real pode-se sufocar a vida de uma pessoa cheia de vida e brilho como foi Diana.

Quem é Camila afinal? Uma dona de casa? Uma madame? Uma mulher com uma profissão ou um emprego? Tem filhos? Quando se divorciou? Escreve muito bem poemas e cartas de amor?

Porque os reporteres e fotografos ingleses que não deixaram nenhuma margem para que Diana se entendesse com o marido e não deixaram nem margem para que ela fugisse das fotos quando estava com o seu namorado
Doti não querem nada com Camila, a bruxa? Isso nos revela um pouco da História da Inglaterra. Ainda sou mais dos EUA, não sei bem por quê.

Nesta segunda feira eu vou falar na aula de Inglês sobre Diana. Espero que alguém no mundo fale sobre Camila. Não me interessei muito até agora sobre estes assuntos, mas esta apresentação oral me deixou bem curiosa.


Bem-vindo(a) a este lar virtual!

quarta-feira, abril 06, 2005

Finalmente Dorothéia conseguira



um emprego. E o marido Ranollfo adoecera. Ele sempre lhe confessava o medo do abandono e lhe olhava com os olhos tristes. Tinha constantes
períodos de anemia. Apesar de se alimentar de todos os alimentos que
continham ferro e ingerir bastante destes alimentos, não retinha ferro no
organismo e ficava por longos períodos acamado. Isso lhe custara também pneumonia três vezes num mesmo inverno. Emagrecia a olhos vistos.

_Dorothéia, agora você pode me deixar como sempre disse que ia fazer.

_Eu dizia isso só quando brigavamos. Na verdade eu não vejo razão para ficar só. Não tenho homem disponível a quem eu ame. Não temos filhos.
Eu gosto de você.

_E se tivesse outro homem disponível?

_Olha, eu não sei. Na verdade todos os homens de quem eu gosto estão muito bem casados e bem encaminhados na vida. Não há nada que eu possa fazer por eles. E, nem há nada que eles possam fazer por mim.

_Você gosta mais de algum destes homens do que de mim?

_De todas estas pessoas, eu gosto mais é de mim mesma.

_Você me perdoa?

_He...he...Você é humilde quando adoece. Eu não tenho nada para perdoar.
Somos dois seres humanos e seres humanos se amam e também se maltratam.

_Sim. Se importaria de me trazer um chá?

_Não.

Bem-vindo(a) a este lar virtual!

Receita de relacionamento




Não usar receitas.
Esta é a melhor receita.
Pensou que era fácil, heimmmm?
Agora pensa bem no que realmente vale a pena!


Bem-vindo(a) a este lar virtual!

Crise



O casamento de Dorothéia mulher não ia nada bem.

_Eu te amo apesar dos pesares!

Foi o que Dorothéia ouviu de seu marido e se deixou abraçar e beijar sem saber ao certo se deveria ou não engolir aquele entulho. E engoliu. Um sapo a mais não...

...Faz ou não faz mal, engolir um sapo a mais? Pensou.

A ex-mulher de Ronollfo estava com câncer de intestino e a título de muito sofrimento ligava para desabafar e chorar nos ouvidos de Ranollfo. A irritação que Dorothéia sentia a este respeito era mal vista por todos da família do marido. E o seu ciúme era visto como falta de compaixão. Como dizia a princesa Daiana: "Tem gente demais neste casamento" repetia Dorothéia como argumentação destas escassas de quem se divide entre raiva, culpa e prostação.

E com vassoura na mão ela matutava se devia aceitar mesmo um coração feito de tripas, um amor apesar de...E seu marido não queria ser abandonado principalmente em uma hora tão difícil em que a família se mobilizava em torno daquela que tanto sofria dores atrozes.

_Eu deveria ter compaixão por esta mulher.
Dizia Dortothéia. _Mas, ela sempre me tratou mal, com desdém, com malícia a meu respeito.

_Você deseja que ela morra, Dorothéia?

_Quer saber de uma coisa? Às vezes acho que sim, mas quando penso que nem morta ela há de morrer e sempre estará aqui com sua vista grossa diante de mim para me acusar por eu ser como eu sou e sentir o que eu sinto eu preferia desaparecer. Gostaria de morrer e ser atéia para ter certeza de que acabou mesmo.

_Ela vai morrer, por isso deixa quando eu a consolo.

_Deixo sim. Estou deixando tudo.
E lhe corriam as lágrimas.

_Um dia eu também vou morrer.

_Nunca se sabe quem será o primeiro.

_É, porque eu posso ser atropelada por um bêbado maluco e ir antes da sua
mulher...

_Minha mulher é você.

_Não parece...

_Ninguém é de ninguém.

_...e sem apesar nem sobretudo ou casaca eu odeio você!

_Eu pago as contas.

_Odeio quem paga as contas, amo o seu dinheiro.

_Verdade?

_Não...mais ou menos. Ai, eu só quero paz...Calma!!!
E soluçava já alto as duas da manhã acordando os vizinhos que já deviam estar no limite também.

...Um dia quero trair...trair...e ...trair...vc.



Bem-vindo(a) a este lar virtual!

Querido diário!



O primo de Dorothéia furtou o seu diário
e zombeteiro "chouvinista" lia-o as gargalhadas enquanto a pobrezinha tentava em vão abrir a porta do quarto trancada a chave. Ali estava sobre o amor de Dorothéia moça, aquele monumento ao progresso do Brasil. Estava escrito sobre como seria o encontro e o beijo. Sim, ela ficaria de olhos fechados a sorrir e espiaria com um só olho a sua expressão de felicidade. Ele também sorria naquele abraço eterno. Mas, não queria indiscrição, pois achava-se aquém daquele homem tão belo, tão inteligente e além de tudo gentil. Era daqueles raros rapazes que quando meninos não
tentaram constrangê-la de alguma forma e de certa forma não a constrangeu por ser menina, por se tímida e um tanto frágil como eram as meninas daquela época em relação ao meninos.

O pai de Dorothéia não podia ver o seu diário, um simples caderno que não era um daqueles diários de menina com chave que elas poderiam carregar no pescoço numa correntinha. O pai dela era muito bravo e não queria que
Dorothéia pensasse em rapazes ainda. Por isso Dorothéia passou a escrever apenas idiotíces no seu diário. Escrevia tudo quanto era bobagem sobre chicletes, bijuterias, vestidos, receitas de bolo que não são bobágens praticamente, mas não eram nenhuma expressão pessoal do que Dorothéia realmente sentia. O que ela sentia era uma sensação de sufoco. Sufocara tudo em seu peito. E foi ficando cada vez mais só, embora tivesse muitas companheiras que contavam sobre seus amores, seus namoricos e um pouco sobre livros, sobre cinema que eram os assuntos prediletos de Dorothéia. Com o tempo Dorothéia passou a ler muito. Aquele rapaz do qual ela falava no diário, seu conhecido desde os seus primeiros anos após os dez ("teen ages") nunca a decepcionou como pessoa, antes pelo contrário causou admiração, e ela sabia...era um amigo distante apenas, no máximo.

Bem-vindo(a) a este lar virtual!

terça-feira, abril 05, 2005

Sob certo ponto de vista...





...Neste exato momento há um ursinho fofo ou quem sabe uma ursinha
fofa bem aí onde você está. Ou não...

As florestas que o digam!

Bem-vindo(a) a este lar virtual!

domingo, abril 03, 2005





Foto de Anne Geddes

Bem-vindo(a) a este lar virtual!

sábado, abril 02, 2005

Meus filhos



São presentes maravilhosos
que recebi da
vida,
São minha grande alegria,
meu amor,
Vidas de minha vida
e em tudo
quero que eles me
superem
Quero que eles possam
ser mais felizes do
que eu e que vivam
num mundo tb melhor
Para minha alegria
isso acontecerá
e todas as vezes que
eles falharem que não
precisem ter vergonha ou
medo de me dizer o
que vai dentro do peito,
pois não estou aqui para
punir ninguém
Estou
aqui para amar
simplesmente num
mundo em que o maior
dos problemas que
aflige a todos nós e não
sabermos direito como
cumprir a nossa maior
missão na terra. Você sabe...


Bem-vindo(a) a este lar virtual!

Uma chama acessa





"Na vida, há momentos especiais que chegam de forma inesperada."

Mostre que o amor é real!
Eu gostaria de estar sempre tirando coelhos do chapéu.

Bem-vindo(a) a este lar virtual!